Saiba quais foram os destaques da COP26 desta semana

Brasil anuncia novas metas para o meio ambiente; EUA e Europa irão financiar transição para economia de baixo carbono na África; bancos e fundos podem investir, nas próximas décadas, US$ 100 trilhões para reduzir emissões; e muito mais

– Ilustração: Renata Miwa

Pontos-chave

  • Brasil anuncia novas metas para ajudar a combater o aquecimento global, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa em 50%
  • 450 instituições financeiras assinaram um acordo para financiar US$ 100 trilhões em 30 anos para programas que zerem a emissão de carbono

No último domingo (31) começou a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26). O evento está acontecendo em Glasgow, na Escócia, com a participação de quase 200 países, autoridades, profissionais de ciência e ambientalistas para traçar estratégias de combate às mudanças climáticas no mundo. Durante 12 dias, os participantes debatem estratégias e negociações sobre o futuro do planeta. Confira os destaques desta semana:

  • O Brasil anunciou novas metas para o combate ao aquecimento global. O novo compromisso é reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 50% em 2030 – a meta anterior era de 43%. Joaquim Leite, ministro do Meio Ambiente, afirmou que o país se comprometerá em zerar as emissões líquidas até 2050. O governo também anunciou que vai antecipar a meta para zerar o desmatamento ilegal de 2030 para 2028, e alcançar uma redução de 50% até 2027.
  • O Brasil assinou o Compromisso Global sobre Metano. O objetivo é reduzir 30% das emissões globais do gás até 2030, em comparação com os números de 2020. O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que o país terá um prazo para adaptar sua agropecuária ao acordo, mas não especificou números.
  • Estados Unidos, Reino Unido, França, União Europeia e Alemanha anunciaram que ajudarão a financiar a transição da África do Sul contra o carvão, ajudando o país a “descarbonizar” seu sistema de energia. A iniciativa, segundo especialistas, pode abrir caminhos para outros acordos semelhantes entre países altamente poluidores.
  • Pelo menos 20 países concordaram em encerrar o financiamento para projetos de combustíveis fósseis no exterior, segundo fontes ouvidas pela CNN. Estados Unidos é um dos países que fazem parte do acordo, que foi o primeiro a incluir projetos de petróleo e gás.
  • Bancos, gestoras, fundos de pensão e outras instituições financeiras com US$ 130 trilhões em ativos assinaram a Glasgow Financial Alliance for Net Zero (GFANZ). A coalizão se comprometeu a financiar programas de redução de emissões. O objetivo das mais de 450 empresas é fornecer, nas próximas três décadas, US$ 100 trilhões em financiamento, para novas tecnologia, por exemplo, para acelerar a transição para emissões líquidas zero de carbono.

Você também pode gostar
Isabella Carvalho Atualizado em 16.maio.2022 às 15h36
Blockchain verde: entenda o conceito que está transformando o mercado de criptos

Modelo surge como alternativa sustentável para a mineração de moedas digitais

4 min
Valor Econômico Atualizado em 19.abr.2022 às 18h23
América Latina desperdiça oportunidade histórica em desenvolvimento verde, diz FT

A omissão dos governos latino-americanos em investir em energia renovável deve deixar muito espaço para o setor privado

5 min
Valor Econômico Publicado em 28.mar.2022 às 08h02
Pressão saudável: empresas com capital aberto avançam mais em ESG

É o que mostra estudo feito pela consultoria Resultante sobre evolução das empresas de capital aberto e divulgado com exclusividade para o Prática ESG

3 min
Valor Econômico Publicado em 11.mar.2022 às 08h04
Desmate tem pouca atenção de gigantes do agro, diz estudo

Pesquisadores do Núcleo de Sustentabilidade da Fundação Dom Cabral analisaram os relatórios e políticas de sustentabilidade de 19 companhias brasileiras e estrangeiras do setor

3 min
Valor Econômico Publicado em 08.mar.2022 às 07h57
Estudo mostra Amazônia perto do ‘ponto de ruptura’

Cerca de 75% do bioma está perdendo resiliência desde o início dos anos 2000 e pode transforma floresta tropical em algo parecido com um Cerrado ambientalmente pobre

3 min