Petrobras e Novonor fecham acordo para vender até 100% das ações da Braskem

A Braskem também migrará ao Novo Mercado, nível mais elevado de governança da B3

Edifício sede da Petrobras no Centro do Rio (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

A Petrobras informou em comunicado que o conselho de administração da companhia aprovou o modelo de venda de até 100% das ações preferenciais que detém na Braskem.

A operação será realizada por meio de oferta secundária de ações em parceria com a Novonor (ex-Odebrecht), sócia da Petrobras no controle da Braskem.

A Petrobras informou ainda que assinou um acordo (“term sheet”) com a Novonor, que além do compromisso da venda das ações PN, estabelece diretrizes para migração da Braskem ao Novo Mercado, nível mais elevado de governança da B3.

Para efetivação dessa migração, que, entre outros passos, compreende a conversão dos papéis preferenciais em ordinários, as controladoras solicitarão que a Braskem realize os estudos e análises necessários para a mudança de nível de governança.

Com a migração haverá a negociação e assinatura de um novo acordo de acionistas, diz o comunicado da Petrobras.

Ainda pelos termos do acordo, Petrobras e Novonor manifestam o interesse de, após a migração para o Novo Mercado, realizarem a venda de suas respectivas participações societárias remanescentes, no caso, as ações ordinárias da Braskem.

“Ainda como parte dos compromissos assumidos no ‘Term Sheet’, Petrobras e Novonor firmaram também um aditamento ao atual Acordo de Acionistas da Braskem, prevendo futura alteração da disciplina do direito de preferência da Braskem em novos negócios no setor petroquímico”, diz o comunicado da Petrobras.

A estatal acrescenta que a operação está sujeita à aprovação dos órgãos internos da Petrobras, “notadamente quanto ao preço e percentual efetivo das ações a serem ofertadas”, assim como análise e aprovação dos órgãos reguladores.

Em comunicado à parte, a Braskem informou que foi comunicada do acordo assinado entre suas controladoras. “Nesse sentido, a Braskem informa que apoiará os acionistas nos estudos e procedimentos solicitados. A companhia manterá o mercado informado sobre desdobramentos relevantes, em cumprimento com as legislações aplicáveis”, diz nota da petroquímica.

Este conteúdo foi publicado originalmente no Valor PRO


Você também pode gostar
Valor Econômico Publicado em 18.maio.2022 às 12h14
Entenda o que o governo faz com o lucro da Petrobras

Estatal destaca que o pagamento de dividendos é obrigatório em caso de lucro para qualquer empresa de capital aberto

Leonardo Guimarães Atualizado em 18.maio.2022 às 11h34
Duelo IF: JBS ou Marfrig, em qual investir?

Duas gigantes do setor de alimentos disputam a sua atenção como investidor

Entrevista da Semana Publicado em 18.maio.2022 às 09h46
Por que as ações da Nubank não vingaram?

O que aconteceu com a expectativa desta instituição brasileira? Quem comprou, o que deve fazer agora? Danielle Lopes, a entrevistada da semana, responde