Setor de commodites ajuda Ibovespa a subir 1,5%; volatilidade dispara

Minério de ferro avançou 4,4%, para US$ 99,83 a tonelada; investidores profissionais estão alertas para movimentos de day trade

Cidade chinesa de Xunquim: aposta em estímulos do governo para impulsionar a economia (Foto: Jerry Wang/Unsplash)

A Bolsa de Valores brasileira, B3, teve um dia de montanha-russa: começou a terça-feira (23) em alta, passou a cair no meio da sessão, e depois voltou a subir. O Ibovespa, principal índice acionário do país, terminou o pregão em alta de 1,5%, aos 103.653 pontos.

As produtoras de commodities foram o destaque na B3 pelo segundo dia seguido: o Imat (Índice de Materiais Básicos), que reúne o setor, ganhou 2% hoje, na maior alta entre sete grupos.

A Vale e as siderúrgicas seguiram a elevação do minério de ferro, que subiu 4,4% nesta terça, para US$ 99,83 a tonelada, no porto chinês de Qingdao, referência internacional para a cotação. A elevação reflete as apostas de que o governo chinês vai intervir para estimular a economia do país, o que aumentaria a demanda por aço.

Com a disparada de 3,5% do petróleo tipo Brent, para US$ 82,52 o barril, a Petrobras subiu 5,5%, cotada a R$ 27,80. A PetroRio também subiu 5,3%, a R$ 22,67. O avanço do dólar também impulsiona essas empresas, que têm receita na moeda americana. Hoje, o dólar comercial fechou em alta de 0,27%, a R$ 5,6083, depois de ter superado os R$ 5,66 durante o expediente. O dólar turismo está a R$ 5,8293, após alta de 0,20%.

No Brasil, as atenções seguem concentradas sobre a tramitação da PEC dos Precatórios no Senado. Mais cedo, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), voltou a dizer que não há como haver reajuste de servidores dentro do novo espaço criado pela mudança na regra do teto e do adiamento do pagamento dos precatórios. Ele afirmou ainda que, até 3 de dezembro, “precisa estar tudo consolidado dentro do Orçamento.”

A volatilidade de cinco anos do Ibovespa está em 37,3%, comparada com 19,3% do S&P500, de acordo com dados da agência Bloomberg. Os investidores profissionais estão se preparando para mais sobe-e-desce. Como as perspectivas para a economia brasileira continuam negativas – devido ao aumento da inflação, dos juros e à desaceleração da atividade –, as altas que acontecem são pontuais e abrem espaço para o day trade: compra e venda de ações no mesmo dia.


Você também pode gostar

Leonardo Guimarães

Atualizado em 07.dez.2021 às 19h52

O que não fazer com seus investimentos em 2022

Elaboramos dicas essenciais para 2022, que será um ano desafiador e vai exigir preparo dos investidores

Júlia Moura

Atualizado em 07.dez.2021 às 15h46

Ibovespa segue em alta, impulsionando ações de petrolíferas, mineradoras e siderúrgicas

Recuperação dos preços de minério de ferro, que subiram mais de 8% na China, impulsionam ações de mineradoras e siderúrgicas

Valor Econômico

Atualizado em 07.dez.2021 às 10h48

Ibovespa respira e já acumula alta de 6% em três pregões

Melhora do apetite por risco nos mercados globais favoreceu índice

Valor Econômico

Publicado em 07.dez.2021 às 08h09

Novo foco do Banco Central, expectativas para 2023 voltam a subir

Até a reunião de outubro, o BC vinha calibrando o ritmo de alta de juros para trazer a inflação para o centro da meta ainda em 2022

Júlia Moura

Atualizado em 07.dez.2021 às 08h59

IF HOJE: IGP-DI recua 0,58% em novembro

O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) caiu 0,58% em novembro, ante elevação de 1,60% no mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta terça-feira