Tesla estende queda em Nova York após pior mês desde início da pandemia

A empresa de Elon Musk acumulou queda de 19,2% em abril

Foto: Pixabay

As ações da Tesla abriram em queda nesta segunda-feira, com desvalorização de 1,49% na Nasdaq, em Nova York, estendendo as perdas registradas no mês de abri, o pior mês para os papéis da montadora em mais de dois anos.

A empresa de Elon Musk acumulou queda de 19,2% no último mês, a maior queda desde março de 2020, no início da pandemia, quando teve desvalorização de 21,6%. Abril também foi o sétimo mês com maior queda desde a estreia da Tesla no mercado, em junho de 2010.

A queda acontece após duas montadoras de veículos elétricos na China, a NIO e a Li Auto, apresentarem números ruins de vendas, com a ressurgência da pandemia no país. A Tesla vê a China como um dos seus principais mercados e tem fábrica em Xangai.

“Com a Tesla retomando produção na China em 18 de abril, esperamos que as entregas subam na comparação mensal, mas ainda em níveis reduzidos”, diz o analista George Gianarikas, do banco de investimentos Baird.

Outro ponto de pressão nos papéis é a compra do Twitter por Elon Musk, por US$ 44 bilhões, o que forçou o dono da Tesla a vender muitas ações na última semana para financiar a aquisição, trazendo preocupação aos acionistas.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 11h27
Ibovespa sobe com ajuda de Vale e siderúrgicas

Mercado acionário doméstico resiste a nova abertura negativa em NY

2 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

3 min
Manhã Inteligente Publicado em 19.maio.2022 às 10h26
Guerra na Ucrânia, queda das ações da Amazon, Madonna e NFTs

Isabella Carvalho e Ítalo Martinelli falam sobre os assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (19)

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

3 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 09h06
IGP-M desacelera para 0,39% na segunda prévia de maio, aponta FGV

Houve recuos nos preços ao produtor, ao consumidor e nos custos da construção

1 min
Valor Econômico Atualizado em 19.maio.2022 às 08h39
Cenário global desperta interesse por Brasil, diz executivo da bolsa de Nova York

Chefe de mercados internacionais da bolsa de Nova York aponta que ADRs brasileiros são um dos ativos mais líquidos no mercado americano atualmente

4 min