Tem dinheiro na poupança? Veja quanto você está perdendo com a alta da inflação

Que a poupança rende menos que o IPCA, todo mundo já sabe. Mas o quanto menos?

Foto: André Luis Ferreira/Fotoarena/Agência O Globo

Que a poupança rende menos que a inflação, todo mundo já sabe. Mas quanto menos?

Com o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) nas alturas, a desvantagem da poupança está mais evidente.

A poupança nova —depósitos feitos na poupança a partir de 4 de maio de 2012— rende 70% da Selic + TR (Taxa Referencial). A TR hoje é zero, o que faz com que a poupança renda, atualmente 5,425% ao ano com a Selic a 7,75%, como está neste momento.

No entanto, há menos de seis meses, a taxa básica de juros era 2%, o que deixava a poupança com a rentabilidade de apenas 1,4% ao ano.

Fonte: Banco Central

Neste meio tempo, os juros aumentaram, mas a inflação acelerou ainda mais rápido. Nos últimos 12 meses até outubro, o IPCA acumula alta de 10,67%, deixando a poupança para trás. Só no mês passado, os preços subiram 1,25%, segundo informado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta (10).

Veja um exemplo: R$ 100 na poupança nova em outubro de 2020 renderam e viraram R$ 102,02 hoje. Corrigido pelo IPCA do período, este mesmo valor corresponde a R$ 111,62. Ou seja, há uma perda de R$ 9,60 da poupança em relação à inflação neste período. Agora, imagine se, ao invés de R$ 100, há R$ 10.000 na poupança. Seria uma perda de poder de compra de R$ 960.

R$ 100 corrigidos pelo IPCA dos últimos 12 meses (Fonte: Banco Central)
R$ 100 corrigidos pela poupança nova nos últimos 12 meses (Fonte: Banco Central)

Até mesmo a poupança antiga —depósitos até 4 de maio de 2012—, que rende 6,17%, perde para a inflação nos últimos 12 meses.

R$ 100 corrigidos pela poupança antiga nos últimos 12 meses (Fonte: Banco Central)

Nos próximos meses, porém, a poupança tende a ganhar terreno contra a inflação. O mercado estima que, ao fim deste ano, a Selic esteja a 9,25% e o IPCA, 9,33%. Para 2022, a previsão é de Selic a 11% e IPCA a 4,63%.

Quando a Selic chega ao patamar de 8,5%, a remuneração da poupança passa a ser outra: uma taxa fixa de 0,5% ao mês, que equivale a 6,17% ao ano. Ou seja, ano que vem, a previsão é que a poupança tenha rendimento real (acima da inflação).

“Olhando para trás, não há o que fazer. No futuro, segundo as perspectivas do mercado, a poupança deve superar o IPCA”, afirma Jayme Carvalho, planejador financeiro CFP pela Planejar.

De acordo com o especialista, sair da poupança em busca de maiores rentabilidades pode não ser o melhor passo para todos os investidores.

“Há muita mídia negativa em relação à poupança por ela render menos, mas não quer dizer que ela não é útil. Para o investidor conservador e iniciante ela é útil. De fato, existem produtos melhores, que são mais complexos, mas na poupança, há liquidez imediata. O Tesouro Direto, por exemplo tem riscos que a poupança não tem”, diz Carvalho.

Segundo o planejador, para se proteger da inflação, o importante é diversificar a carteira com produtos atrelados ao IPCA ou IGP-M, estando sempre atento ao perfil de investidor e objetivo.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h55
Inflação: pequenas mudanças driblam a disparada dos preços

Com regras simples, você vai tomar as melhores decisões para o seu bolso

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h02
Prévia da inflação de maio deve elevar projeções para a Selic, avaliam economistas

Analistas do mercado consideram que ciclo de aperto monetário pode se estender mais um pouco

Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 10h23
Presidente do Bradesco diz que inflação deve começar a ficar ‘mais controlada’ a partir de 2023

Octavio de Lazari Junior acredita também que a taxa de juros 'só poderá ser reduzida no ano que vem'

Redação IF Publicado em 23.maio.2022 às 09h16
Macy’s pode oferecer pistas sobre força dos gastos do consumidor nos EUA

Investidores monitoram pistas sobre o comportamento da inflação no país