S&P 500 cai em território de ‘Bear market’; Dow Jones e Nasdaq despencam

A maioria dos investidores acredita que o banco central dos EUA anunciará na quarta-feira que está aumentando sua taxa básica de juros em meio ponto percentual

Operadores trabalham na sede da Bolsa de Nova Iorque
Operadores trabalham na olsa de Valores de Nova York (Foto: Brendan McDermid/Reuters)

Confrontados com as chances crescentes de aperto monetário agressivo pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), os investidores descarregaram de suas carteiras os ativos de risco. O S&P 500 caiu 3,9%, com a maioria das ações dos membros em queda no dia. Enquanto isso, uma queda nas criptomoedas destacou a crescente relutância dos investidores em manter suas participações mais especulativas. O preço do bitcoin caiu na segunda-feira abaixo de US$ 23.000, em um ponto sendo negociado abaixo de 67% em relação à alta de novembro.

“Definitivamente, estamos vendo uma atmosfera de risco e, com isso, uma fuga para ativos mais seguros”, disse Charlie Ripley, estrategista sênior de investimentos da Allianz Investment Management, de Nova York. “Nesse ambiente, as pessoas precisam levantar dinheiro.”

As quedas colocaram o S&P 500 em um mercado de baixa ou ‘Bear market’ – que significa mais de 20% de queda em relação à alta de janeiro – pela primeira vez desde 2020. O Dow Jones caiu 2,8%, ou cerca de 875 pontos, enquanto o índice Nasdaq, de empresas de tecnologia, caiu 4,7%.

Os mercados oscilaram descontroladamente este ano, à medida que os investidores se esforçam para decifrar a rapidez com que o Fed aumentará as taxas de juros, na tentativa de domar a inflação altíssima nos EUA. Taxas baixíssimas e outras políticas de estimúlo ajudaram a manter a economia – assim como os mercados – à tona, à medida que a chegada da pandemia de Covid-19 deixou os negócios ociosos e tirou as pessoas do trabalho.

Agora, o Fed está tentando domar os preços em alta, desfazendo essa política de dinheiro fácil. O Fed começará sua reunião de política monetária amanhã. A maioria dos investidores acredita que o banco central anunciará na quarta-feira que está aumentando sua taxa básica de juros em meio ponto percentual.

Mas as expectativas de que o Fed será forçado a se mover ainda mais agressivamente este ano aumentaram. Principalmente depois da divulgação dos dados de inflação na sexta-feira (10), que mostraram que os preços ao consumidor nos EUA subiram 8,6% ano a ano em maio, o aumento mais rápido desde 1981. O relatório sacudiu os mercados e intensificou os temores. que a campanha de aperto monetário poderia levar a economia a uma recessão.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h23
Track&Field anuncia programa de recompra de ações; conheça a estratégia

Muitos motivos levam uma empresa a realizar uma OPA, e você pode ganhar dinheiro com isso

Manhã Inteligente Publicado em 01.jul.2022 às 11h11
Queda generalizada nas Bolsas de Valores do Brasil e EUA, PEC aprovada pelo Senado

Isabella Carvalho e Caio Camargo falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seu bolso nesta sexta (1)

Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 08h34
Cenário de recessão pode piorar mercado acionário nos EUA, alerta pesquisador

Noriel Roubini considera como 'perigosamente ingênua' a visão de analistas que a recessão será leve e de curta duração

Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 18h48
Fleury compra Pardini e se aproxima da Dasa no setor de diagnóstico; fusão não altera perspectiva de crescimento, diz Itaú BBA

As ações da Pardini fecharam com alta de 18,99%, negociadas a R$ 19,99, e as da Fleury subiram 16,10%, cotadas a R$ 16,30