Dólar dispara com Fed e sinais do BC brasileiro sobre ciclo de aperto monetário

Moeda americana subia mais de 3%, cotada acima de R$ 4,77

Imagem: Getty Images

O dólar comercial disparava na tarde desta sexta-feira (22), após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, declarar ontem que uma alta de juros de 0,5 ponto percentual deve ser debatida no encontro de maio do Fed.

Assim, os juros aumentariam de forma mais acelerada para combater a inflação, o que causou mau humor entre os investidores globais.

Por volta das 13h23, a moeda norte-americana saltava 3,34%, aos R$ 4,7738.

O movimento se intensificou ao longo da manhã, com o mercado atento ainda a indicações de dirigentes do Banco Central do Brasil feitas em reuniões privadas em Washington.

Participantes do mercado relataram ao Valor que, em um dos encontros, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, teria passado a mensagem de que o ciclo de alta de juros está perto do fim.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h04
Dólar cai até R$ 4,89 e juros futuros oscilam perto da estabilidade

Moeda americana se desvaloriza em todo o mundo nesta manhã

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h01
Bolsas de NY apontam para recuperação na sessão desta sexta

Mercado americano vem de dois pregões seguidos de queda

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h16
Bolsas asiáticas fecham em alta após China cortar taxa de juros

Mesmo assim, os investidores seguem atentos à perspectiva de aumento dos juros nos EUA

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 16h01
Dólar comercial renova mínima com fraqueza da moeda no exterior

O movimento reflete o enfraquecimento da moeda americana frente outras divisas emergentes