Bolsa fecha em alta apesar de retirada de estímulos nos EUA

Ibovespa conseguiu se firmar no terreno positivo no fim do pregão, encerrando em alta de 0,63%, a 107.431 pontos

Prédio da B3 Bovespa Bolsa Balcão em São Paulo
A bolsa brasileira B3, em São Paulo (Foto: Divulgação)

Desde a manhã desta quarta-feira (15) o Ibovespa, principal índice acionário brasileiro, oscilou entre alta e baixa enquanto os investidores analisavam os efeitos da aceleração da retirada dos estímulos à economia pelo Fed (Federal Reserve, o banco central americano).

Conforme esperado, o Fed anunciou nesta tarde que vai aumentar a velocidade do chamado tapering. Até agora, o Fed havia diminuído a compra de títulos públicos e hipotecários em, respectivamente, US$ 10 bilhões e US$ 5 bilhões, o que significa que estava despejando mensalmente US$ 90 bilhões no mercado.

Agora, vai diminuir a compra dos títulos privados em US$ 20 bilhões e a dos hipotecários em US$ 10 bilhões. Além disso, avisou que os montantes passarão para US$ 40 bilhões e US$ 20 bilhões no começo de janeiro. Boa parte dos recursos estava sendo usada por investidores em operações no mercado financeiro, inclusive em outros países, como o Brasil. Com menos dinheiro sobrando no mercado, é possível que a Bolsa brasileira recue e o dólar se aprecie ante o real.

“Hoje o Fed adotou uma postura um pouco mais mais dura em termos de precaução com a inflação do que preocupado com a atividade [econômica]”, diz Gustavo Cruz, economista e estrategista da RB Investimentos.

Segundo Cruz, a mudança é clara dada a retirada da palavra transitória para descrever a inflação. Além disso, o Fed projeta uma inflação mais alta. Ao mesmo tempo, o banco está otimista com o crescimento econômico e com a taxa de emprego. “Isso deve fortalecer o dólar contra as principais moedas porque os Estados Unidos está nessa posição de ter uma economia crescendo e possibilitando a alta de juros, ao contrário, por exemplo, de outras regiões fortes como a Europa”, afirma Cruz.

O Ibovespa conseguiu se firmar no terreno positivo no fim do pregão, encerrando em alta de 0,63%, a 107.431 pontos.

As ações dos frigoríficos Minerva, JBS e BRF estavam entre as maiores altas do Ibovespa, após a China liberar as importações de carne brasileira. As empresas estavam proibidas de vender para o pais asiático desde o início de setembro, quando surgiram relatos de casos do mal da vaca louca em Minas Gerais e Mato Grosso.


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h01
Bolsas de NY apontam para recuperação na sessão desta sexta

Mercado americano vem de dois pregões seguidos de queda

Manhã Inteligente Publicado em 20.maio.2022 às 10h40
ETFs de renda fixa, privatização da Eletrobras, queda de lucro de empresas

Isabella Carvalho e Caio Camargo falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos nesta sexta (20)

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h16
Bolsas asiáticas fecham em alta após China cortar taxa de juros

Mesmo assim, os investidores seguem atentos à perspectiva de aumento dos juros nos EUA

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras