Mercado Bitcoin: projeto que regulamenta criptomoedas coloca Brasil na vanguarda

Operadores avaliam que medida é passo positivo para a conquista de mais clientes

Mercado de criptos enfrenta fortes perdas nesta semana (Foto: Art Rachen/Unsplash)

O Senado aprovou na terça-feira projeto que regulamenta as operações financeiras com criptoativos, as chamadas criptomoedas, no Brasil. O relator da matéria, Irajá Abreu (PSD-TO), juntou propostas similares sobre o tema que tramitaram na Câmara e no Senado e, por isso, a matéria irá à avaliação dos deputados.

Tendo em vista o crescimento de golpes envolvendo os criptoativos, principalmente a partir das chamadas pirâmides financeiras, o projeto inclui na legislação o crime de fraude em prestação de serviços de ativos virtuais, valores mobiliários ou ativos financeiros, que terá pena de dois e seis anos de prisão. O aumento no número de fraudes bilionárias nesse mercado, ainda sem a devida regulação jurídica, tem colocado as autoridades brasileiras em alerta. O setor movimenta cerca de R$ 130 bilhões no país ao ano e, nos dois últimos anos, investidores brasileiros foram lesados por golpistas em mais de R$ 6,5 bilhões, segundo o parecer.

As linhas principais da proposta são a definição de marcos regulatórios para nortear a regulamentação infralegal, a proteção e defesa do consumidor, o combate aos crimes financeiros e a promoção da transparência das operações com criptoativos. O Poder Executivo definirá posteriormente o órgão responsável por disciplinar o funcionamento e a supervisão da prestadora de serviços de ativos virtuais.

Uma das inovações promovidas pelo Senado é o estímulo à chamada “mineração verde”. A mineração é, essencialmente, o processo que faz com que novos criptoativos possam entrar em circulação. O projeto prevê a isenção completa de impostos de importação para máquinas e softwares caso a atividade seja realizada a partir de fontes de energia renováveis. “O Brasil pode se tornar a nova meca da mineração verde. Esse é o objetivo”, apontou o relator, que avalia que Brasil poderá ser um grande “player” nesse mercado, movimentando em torno de US$ 30 bilhões em 2022 e 2023.

Avaliação positiva

O projeto de lei de regulamentação de criptomoedas é positivo e coloca o Brasil na vanguarda das nações que regularam o mercado para estimular e não cercear, mas as questões relacionadas à isenção fiscal para mineradores podem gerar polêmica. A avaliação é de Julien Dutra, diretor de relações governamentais da 2TM, holding dona do Mercado Bitcoin.

Dutra lembra que o senador Irajá Abreu (PSD-TO) incluiu na legislação uma isenção fiscal na compra de computadores com capacidade de processamento para resolver as questões que permitem a criação de novas unidades de bitcoin. O texto faz também um incentivo para o minerador que fizer este processo usando energia limpa, uma vez que a mineração de criptomoedas é uma atividade bastante intensiva em energia.

“A questão da isenção pode ser um entrave para a sanção presidencial depois que o projeto for aprovado pela Câmara, já que o governo está com uma situação fiscal nada confortável, principalmente depois dos estímulos e programas sociais criados durante a pandemia”, destaca o diretor da 2TM.

Ainda assim, ele crê que mesmo que esse ponto seja vetado, não haverá prejuízo à nova legislação como um todo. Para Dutra, o texto do PL das criptomoedas traz importantes avanços ao setor, garantindo a solidez dos ativos virtuais ao mesmo tempo em que atende a questões como a prevenção à lavagem de dinheiro e o combate ao terrorismo.

“Vai proporcionar conforto para as pessoas operarem. Tem muita gente, muitos operadores, inclusive lá fora, esperando para que a regulamentação aconteça para que possam ganhar clientes”, aponta.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Anne Dias Publicado em 20.maio.2022 às 11h12
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h04
Dólar cai até R$ 4,89 e juros futuros oscilam perto da estabilidade

Moeda americana se desvaloriza em todo o mundo nesta manhã

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h01
Bolsas de NY apontam para recuperação na sessão desta sexta

Mercado americano vem de dois pregões seguidos de queda

Manhã Inteligente Publicado em 20.maio.2022 às 10h40
ETFs de renda fixa, privatização da Eletrobras, queda de lucro de empresas

Isabella Carvalho e Caio Camargo falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos nesta sexta (20)

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 09h28
Rio ou São Paulo: onde o aluguel é mais barato?

Se for para investir, cuidado. Até a poupança tem rentabilidade melhor do que a locação

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h16
Bolsas asiáticas fecham em alta após China cortar taxa de juros

Mesmo assim, os investidores seguem atentos à perspectiva de aumento dos juros nos EUA

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras

íon Itaú Atualizado em 20.maio.2022 às 07h15
O que explica o bom desempenho dos fundos multimercados desde o início de 2022?

Mesmo com o cenário de alta volatilidade e incerteza na economia global, o primeiro quadrimestre registrou o melhor início de ano para esta classe desde 2009