Feriado da República tem articulações políticas; para a semana, PIB

Indicadores importantes da atividade econômica do país serão anunciados nos próximos dias, ajudando quem investe a calibrar expectativas

(Foto: Agência Brasil)

O feriado da Proclamação da República nesta segunda-feira (15) mantém o mercado financeiro brasileiro fechado, mas as articulações políticas com vistas às eleições de 2022, que têm mexido bastante com as perspectivas de investimentos no país, seguem a todo vapor.

Depois de ter a filiação ao PL adiada, com intensa troca de mensagens com o seu líder, Valdemar da Costa Neto, o presidente Jair Bolsonaro reconsidera suas opções de partido para disputar a reeleição. Bolsonaro se encontra em viagem oficial ao Oriente Médio. Enquanto isso, a pré-candidatura do seu ex-ministro da Justiça Sérgio Moro trabalha nos bastidores para conseguir apoio de setores influentes da sociedade.

No restante da semana, os principais indicadores econômicos no radar dizem respeito ao PIB (Produto Interno Bruto).

Na terça-feira (16), o Banco Central divulga o seu IBC-Br (Índice de Atividade Econômica) relativo a setembro, e, na sexta, é a vez de a Fundação Getulio Vargas informar o Monitor do PIB do mesmo mês. Com metodologias diferentes, ambos juntam mensalmente vários tipos de dados – curiosidade: o do BC considera até a Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – para medir o andamento da economia. Como a divulgação do PIB, o índice oficial do IBGE, só é feito a cada três meses, não é necessário esperar tanto para ter saber se o país vai bem ou mal.

A mediana das expectativas do mercado financeiro é de que o IBC-BR mostre uma desaceleração de 0,3% da atividade econômica brasileira em setembro em comparação com o mesmo mês de 2020 – o dobro do 0,15% de agosto. Caso se confirme, o índice vai reforçar o pessimismo despertado pela Pesquisa Mensal do Comércio, do IBGE, que, na quinta passada (11), retratou uma baixa de 1,3% nas vendas do setor em setembro, e pela Pesquisa Mensal de Serviços, do mesmo instituto, que apontou uma baixa de 0,6% no mesmo período.

Por que importa?

Quem investe precisa ter dados sobre a atividade econômica para tentar projetar o desempenho de seus ativos e das empresas em que coloca seu dinheiro.

Como afeta os investimentos?

As perspectivas negativas para a economia brasileira têm feito quem investe se afastar das empresas negociadas na Bolsa de Valores e reforçar a compra de títulos públicos e outras opções de ativos de renda fixa. Em 2021, até agora, o Ibovespa perdeu 10,9%. Esse movimento pode ter continuidade.

Fique por dentro

Quatro em cada cinco cidades com mais de 100 mil habitantes no Brasil tiveram redução de novos casos de Covid-19 em outubro, o maior índice desde o início da pandemia. Em média, o mês passado teve, em média, 260 cidades no estágio de desaceleração do contágio, o que representa 80% dos 326 municípios com mais de 100 mil habitantes. Os dados são do jornal Folha de S.Paulo.


Você também pode gostar
Manhã Inteligente Publicado em 13.maio.2022 às 11h41
Fuga dos estrangeiros na B3, queda das criptomoedas, previsão do PIB

O Manhã Inteligente desta sexta (13), fala sobre a debandada de investidores estrangeiros da B3, a melhora na projeção do PIB e a queda generalizada das criptomoedas

Redação IF Publicado em 09.maio.2022 às 11h18
Bradesco eleva PIB para 1,5% e inflação para 7,5% em 2022

Banco vê uma recuperação do setor de serviços e do mercado de trabalho além das expectativas de início de ano