Fintechs brasileiras despencam em NY e Nubank renova mínima recorde

Ressaca pós-Fed puxa o movimento negativo

Foto: Divulgação/Nubank

As fintechs brasileiras negociadas em Nova York despencam nesta quinta-feira pós reunião do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos), acompanhando os mercados americanos, em especial o Nasdaq, que recua mais de 4,5%.

O Fed acelerou ontem os juros, subindo as taxas em 0,5 ponto percentual para o intervalo de 0,75% e 1%. Também anunciou o início do enxugamento do balanço patrimonial para 1º de junho.

Por volta das 14h40, as ações do Nubank recuavam 4,85%, a US$ 5,49, renovando suas mínimas históricas. O menor patamar do dia, chegou a US$ 5,25.

Ontem, o Itaú BBA afirmou que a notícia do fim do lock-up, resultados fracos no primeiro trimestre e outras notícias podem levar a uma distorção de preços das ações do Nubank no curto prazo. Eles divulgaram um estudo com diversos modelos de valuation, sendo que a média aponta para um preço de US$ 6 a US$ 7 para o papel. Em um cenário negativo, a faixa chegaria a um patamar entre US$ 3 e US$ 4, e na ponta oposta, com um cenário positivo, subiria acima de US$ 8.

Já a Stone perdia 10,61%, a US$ 8,93, não muito distante da mínima recorde de fechamento, de US$ 8,26, registrada em 15 de março deste ano. A PagSeguro tinha baixa de 10,68%, a US$ 12,96. O menor patamar histórico é de US$ 11,90, atingido em 14 de março.

XP amargava perda de 2,79%, a US$ 21,21. Nesse caso, no entanto, ainda está relativamente longe da mínima histórica, que é de US$ 17,20, registrada em 2 de abril de 2020.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 17.maio.2022 às 19h14
NY: Empresas de tecnologia recuperam perdas; ações de aéreas americanas fecham em alta

Dados positivos de vendas no varejo nos EUA e sinais de reabertura na China alimentam otimismo

2 min
Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 17h32
Dólar fecha em queda de 2,14%, a R$ 4,9419, com exterior positivo

A redução das medidas de restrição na China favoreceu a das commodities e beneficiou moedas de países exportadores

1 min
Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 15h48
Ação da Hapvida despenca 16% e lidera perdas do Ibovespa

Itaú BBA tem recomendação "outperform" para o papel, com preço-alvo de R$ 17 para o fim de 2022

2 min
Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 15h36
Muitos investidores de criptomoedas não sabem o que estão comprando, diz dirigente do BoE

Jon Cunliffe, do banco central britânico, intensificou o pedido para que as autoridades regulem os criptoativos

2 min