Ibovespa acompanha mercado internacional e fecha em queda, no pior patamar de 2021

Investidores seguem atentos a notícias sobre a nova variante do coronavírus

Ibovespa fechou em alta nesta terça (Foto: Divulgação)

Depois de cair para o menor patamar do ano na véspera, o Ibovespa buscava a recuperação no primeiro dia de dezembro. Acompanhando o mercado internacional, o índice chegou a subir 2%, mas a tendência se inverteu após os Estados Unidos confirmarem o primeiro caso da variante ômicron no país.

O Ibovespa terminou o pregão desta quarta-feira (1º) em queda de 1,12%, aos 100.775 pontos, renovando a mínima de 2021.

Também pesa para o viés negativo a fala do presidente do Fed (banco central dos EUA), Jerome Powell, de que a autoridade vai estudar uma possível aceleração da redução dos estímulos monetários no país.

O mercado ainda acompanha a tramitação da PEC dos Precatórios na Congresso. A avaliação dos investidores é que o fim da novela deve reduzir a percepção de risco fiscal, já que retiraria do radar a chance de o governo editar um novo decreto de calamidade pública para o pagamento de mais parcelas do auxílio emergencial.

Entre as ações mais negociadas do pregão, Petrobras PN (0,58%) e Vale (0,40%) se destacavam no campo positivo.

As maiores altas ficavam por conta dos papéis da Braskem (5,45%), Suzano (3,37%) e Gerdau (1,43%). Pelo lado negativo, as principais quedas observadas eram Magazine Luiza (-11,79%), Meliuz (-11,37%) e Locaweb (-9,93%).

Em Nova York, o índice Dow Jones caiu 1,34%. O S&P500 teve queda 1,18% e o Nasdaq recuou 1,83%.

Dólar

O dólar comercial abriu em queda, e, assim como a Bolsa inverteu a tendência, fechando em alta de 0,59%, a R$ 5,6697 na compra e a R$ 5,6703 na venda. O dólar turismo teve leve alta de 0,12%, a R$ 5,6834 na compra e a R$ 5,8634 na venda.

Com informações do Valor PRO, serviço de notícias em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 11h22
XP: 62% das empresas do Ibovespa tiveram lucro operacional acima do esperado no 1º tri

Analistas destacam que a temporada de balanços dos três primeiros meses de 2022 foi melhor que a imediatamente anterior

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 11h12
Ibovespa opera em queda, enquanto Petrobras busca recuperação

Investidores aguardam a divulgação da ata da última reunião do Fed

Entrevista da Semana Publicado em 25.maio.2022 às 10h08 Duração 6 min.
Como funciona a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE)?

Anne Dias, editora da IF, entrevista Alex Ibrahim, head de mercados internacionais da NYSE, onde trabalha há mais de 20 anos

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h34
Bolsas europeias e futuros de NY têm alta moderada, antes da ata do Fed

À espera do documento, no pré-mercado em NY, o futuro do S&P 500 tinha leve alta de 0,06% e do Nasdaq avançava 0,18%

Valor Econômico Publicado em 25.maio.2022 às 07h36
Após nova troca, ações da Petrobras caem

Investidor volta a analisar peso político, mas efeito na bolsa foi limitado por ativo ser considerado barato

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 19h58
‘Travamos o bom combate’, disse Coelho, por WhatsApp, em mensagem de despedida

Funcionários relatam clima de falta de rumo com demissão de José Mauro Coelho; indicado para o posto é Caio Paes de Andrade

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h18
ADRs da Petrobras recuam 3,8% em NY com troca no comando e data de corte de dividendos

Os recibos de ações (ADRs) referenciados nas ações ordinárias da Petrobras fecharam em queda de 3,80% na bolsa de Nova York

Glossário IF Publicado em 24.maio.2022 às 17h24
B3: como surgiu, qual é sua história, o que ela faz?

A Bolsa de Valores brasileira é uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Saiba mais no Glossário IF