Em meio à aversão global ao risco, Ibovespa cai quase 3% – e quase zera ganhos do ano

As perdas foram generalizadas nos setores da Bolsa

Mercados acumulam perdas com alta de juros (Foto: Pixabay)

O otimismo que marcou a hora final do pregão de ontem rapidamente deu lugar a um movimento amplo de aversão a ativos de risco nesta quinta-feira. Após os investidores terem celebrado o fato de o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, ter descartado acelerar o ritmo de alta de juros nos EUA, a leitura que prevaleceu nos mercados hoje é que o desafio das autoridades monetárias para controlar a inflação segue imenso – e deve penalizar o mercado acionário. Assim, o Ibovespa encerrou o dia em queda forte, seguindo seus pares em Nova York, e praticamente zerou os ganhos de 2022.

O Ibovespa amargou perdas de 2,81% nesta quinta-feira, encerrando o dia aos 105.304,19 pontos. A queda diária, inclusive, fez os retornos do Ibovespa, em moeda local, recuarem a apenas 0,46% em 2022. O volume negociado dentro do índice hoje foi de R$ 24,12 bilhões, pouco acima da média diária de 2022.

Em Nova York, as quedas também foram expressivas. O S&P 500 encerrou a sessão em queda de 3,12%, o Dow Jones perdeu 3,56% e o Nasdaq recuou 4,99%.

O movimento de reprecificação na curva de juros dos Estados Unidos disparou um novo dia de aversão a risco nos mercados globais. Enquanto o juro da T-note de 2 anos fechou em queda, após Powell ter afirmado que os membros do Fed não cogitam elevar as taxas de juros nos EUA em 0,75 ponto percentual, os rendimentos da T-note de 10 anos dispararam e encerraram o dia a 3,047%, de 2,963% do dia anterior.

Acompanhando as ações do Nasdaq em Nova York e com a alta nas taxas de juros no mercado local, os papéis de tecnologia e varejo digital foram os destaques negativos da sessão. Totvs ON caiu 11,12%, Magazine Luiza ON recuou 10,71%, as units do Banco Inter perderam 9,36% e Banco Pan PN caiu 7,21%. Americanas ON, Méliuz ON e Via ON fecharam em queda de 7,17%, 6,84% e 5,30%, respectivamente.

Ações tradicionalmente sensíveis aos juros, como o setor imobiliário e de shoppings, também tiveram perdas expressivas. MRV ON caiu 7,20%, as units do Iguatemi caíram 6,28%, JHSF ON perdeu 5,91% e Multiplan ON cedeu 5%.

Na ponta positiva, Gerdau Metalúrgica PN e Gerdau PN subiram após os bons resultados divulgados no trimestre. As ações subiram 3,63% e 2,33%. As outras duas altas do índice foram Suzano ON, que avançou 2,69% e as units da Klabin, que tiveram ganhos de 1,17%.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Anne Dias Publicado em 20.maio.2022 às 11h12
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h04
Dólar cai até R$ 4,89 e juros futuros oscilam perto da estabilidade

Moeda americana se desvaloriza em todo o mundo nesta manhã

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h01
Bolsas de NY apontam para recuperação na sessão desta sexta

Mercado americano vem de dois pregões seguidos de queda

Manhã Inteligente Publicado em 20.maio.2022 às 10h40
ETFs de renda fixa, privatização da Eletrobras, queda de lucro de empresas

Isabella Carvalho e Caio Camargo falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos nesta sexta (20)

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 09h28
Rio ou São Paulo: onde o aluguel é mais barato?

Se for para investir, cuidado. Até a poupança tem rentabilidade melhor do que a locação

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h16
Bolsas asiáticas fecham em alta após China cortar taxa de juros

Mesmo assim, os investidores seguem atentos à perspectiva de aumento dos juros nos EUA

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras