Elon Musk vende US$ 4 bilhões em ações da Tesla depois de comprar o Twitter

O negócio pode enfraquecer o controle do bilionário sobre a fabricante de veículos elétricos

Foto: Reprodução/TED

Elon Musk vendeu cerca de US$ 4 bilhões em ações da Tesla nos dois dias seguintes após concordar em comprar o Twitter por US$ 44 bilhões, de acordo com documentos regulatórios divulgados nesta quinta-feira.

O presidente-executivo da Tesla informou ter vendido um total de mais de 4,4 milhões de ações na terça e quarta-feira a preços entre US$ 870 e US$ 1.000 por ação, mostram os documentos.

Antes das vendas desta semana, Musk possuía cerca de 17% da fabricante de veículos elétricos, ou mais de 172 milhões de ações, segundo a FactSet.

Musk está prestes a conseguir US$ 21 bilhões em dinheiro para financiar o acordo com o Twitter. Seu plano de financiamento também inclui um empréstimo de US$ 12,5 bilhões de empréstimos garantidos por mais de US$ 62,5 bilhões em ações da Tesla que ele possui.

A Tesla e vários bancos estabeleceram regras que exigiriam que ele oferecesse mais garantias se o preço das ações da empresa caísse.

Musk tuitou na quinta-feira: “Não há mais vendas de TSLA planejadas depois de hoje”.

Musk tem um patrimônio líquido de US$ 252 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index, tornando-o a pessoa mais rica do mundo. Mas grande parte de sua riqueza está vinculada a suas empresas, que incluem Tesla e Space Exploration Technologies Corp., ou SpaceX. Musk, que é remunerado em ações e não aceita um salário em dinheiro da Tesla, às vezes se descreve como pobre em dinheiro.

Por muitos anos, Musk relutou em se desfazer das ações da Tesla. No entanto, ele vendeu mais de US$ 16 bilhões no ano passado, grande parte para pagar impostos devidos sobre uma grande parcela de opções de ações adquiridas que ele exerceu antes que expirassem este ano.

A venda de ações pode enfraquecer o controle de Musk sobre a Tesla. Empresas como a Meta Platforms Inc., controladora do Facebook, e Alphabet Inc., controladora do Google, têm várias classes de ações, dando aos fundadores poder de supervoto sobre os acionistas ordinários. Tesla carece de tal estrutura.

As ações da Tesla, maior fabricante de automóveis do mundo em valor, caíram mais de 16% este ano.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 11h27
Ibovespa sobe com ajuda de Vale e siderúrgicas

Mercado acionário doméstico resiste a nova abertura negativa em NY

2 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

3 min
Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

3 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 09h06
IGP-M desacelera para 0,39% na segunda prévia de maio, aponta FGV

Houve recuos nos preços ao produtor, ao consumidor e nos custos da construção

1 min
Valor Econômico Atualizado em 19.maio.2022 às 08h39
Cenário global desperta interesse por Brasil, diz executivo da bolsa de Nova York

Chefe de mercados internacionais da bolsa de Nova York aponta que ADRs brasileiros são um dos ativos mais líquidos no mercado americano atualmente

4 min
Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h12
Grandes investidores ampliam dinheiro em caixa para maior patamar desde atentados de 11 de setembro

Preferência por dinheiro vivo coincide com enfraquecimento significativo das expectativas quanto aos lucros das empresas

4 min
Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h03
Nos EUA, esta pode ser uma década perdida para ações

Aumento de custos e aperto monetário devem pressionar margens de empresas dos EUA

4 min