Criptomoedas perdem capitalização de US$ 1 tri com queda livre de moedas

As ações das empresas que adotaram criptomoedas também caíram

Bitcoin e outras moedas digitais têm sido mencionadas como hedge (proteção) de inflação. Mas o efeito cascata foi diferente — Foto: David McBee/Pexels
Bitcoin e outras moedas digitais têm sido mencionadas como hedge (proteção) de inflação. Mas o efeito cascata foi diferente — Foto: David McBee/Pexels

O bitcoin caiu nesta segunda para o nível mais baixo em cerca de 18 meses após o congelamento de saques pela plataforma de empréstimos Celsius, o que aumentou a preocupação de que o risco sistêmico no ecossistema de criptomoedas acelere o colapso no mercado de ativos digitais.

O maior token digital do mundo derreteu 17%, para US$ 22.603 – o valor mais baixo desde dezembro de 2020. Outras criptomoedas também caíram conforme as vendas seguiram no segmento. O Índice MVIS CryptoCompare Digital Assets 100, que acompanha 100 dos principais tokens, caiu até 17%.

E o valor total de mercado, que chegou a US$ 3 trilhões em novembro, caiu abaixo de US$ 1 trilhão às 10h54 (horário de Nova York) nesta segunda-feira, segundo a CoinGecko.

“Os fundamentos para apoiar a estabilização e a recuperação simplesmente não existem”, disse Steven McClurg, cofundador e CIO da gestora de fundos de criptomoedas Valkyrie Investments. “As coisas podem e, provavelmente, vão piorar antes de melhorar.”

As ações das empresas que adotaram criptomoedas também caíram. A MicroStrategy, empresa de software que comprou bitcoin como parte de sua estratégia corporativa, caiu até 28%. A Block de Jack Dorsey caiu até 10%. As mineradoras de Bitcoin Marathon Digital e Riot Blockchain caíram 19% e 16%, respectivamente.

A Binance, maior plataforma de negociação de criptomoedas, suspendeu temporariamente saques da rede Bitcoin devido a um problema de processamento de transações. As retiradas ainda estavam sendo feitas em outros sistemas.

As vendas ocorrem ao passo que operadores aumentam as apostas para um ritmo mais agressivo de aperto monetário do Fed após os dados de sexta-feira mostrarem que a inflação dos EUA saltou para um novo recorde de 40 anos em maio. As criptomoedas, que sofreram com a política do Fed nos últimos meses, foram particularmente atingidas. O colapso do do ecossistema Terra/Luna no mês passado e a interrupção de saques do Celsius na segunda-feira de manhã, no horário da Ásia, corroeram ainda mais a confiança no ativo.


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 18h17
União Europeia chega a acordo histórico para regular critpoativos. ‘É o fim do Velho Oeste digital’, diz parlamentar

NFT com preço fixo, como ingressos para eventos ou itens em games, não serão regulados. Provedores deverão divulgar impacto ambiental dos ativos digitais

José Eduardo Costa Atualizado em 30.jun.2022 às 18h59
Bitcoin registra sua pior perda trimestral em mais de uma década

No final da tarde desta quinta-feira o bitcoin registrava baixa de 58% de seu valor no segundo trimestre de 2022, a pior queda trimestral em mais de uma década

Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 07h27
Bitcoin segue acima de US$ 20 mil com atenção a liquidação de fundo e ataques a Tether

O valor de mercado somado de todas as criptomoedas ficava em US$ 935 bilhões

Leonardo Guimarães Publicado em 28.jun.2022 às 07h15
Já é possível investir em jogadores via tokens lastreados

Você pode ganhar dinheiro nas negociações com o meia Phillippe Coutinho; mas há riscos. Conheça o novo ativo digital

Redação IF Atualizado em 27.jun.2022 às 10h27
Criptomoedas retomam patamar de US$ 1 trilhão com ganhos do ether e bitcoin

Aversão ao risco devido ao temor de inflação global e juros em alta arrefeceu um pouco