Como fica a poupança com a Selic a 12,75% ao ano?

Uma certeza: a caderneta vai continuar perdendo para a inflação

taxa de juros
Foto: Leo Pinheiro/Agência O Globo

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu na quarta-feira (4) elevar a taxa Selic de 11,75% para 12,75%, como o esperado. E a expectativa do mercado é que o Banco Central faça ao menos mais uma alta em junho.

A alta dos juros básicos da economia tem impactos no crédito e no PIB (Produto Interno Bruto), mas aumenta a atratividade de investimentos em renda fixa, com algumas opções oferecendo retorno de mais de 1% ao mês, dependendo do prazo da aplicação.

Já na caderneta de poupança pouco muda. A modalidade de investimento mais popular do país seguirá com o retorno travado em 6,17% ao ano + TR (Taxa Referencial), e continuará perdendo para a inflação.

Simulações do buscador de investimentos Yubb mostram que, com a Selic a 12,75%, o retorno líquido (rentabilidade descontada a inflação e o imposto de renda) projetado para diferentes investimentos de renda fixa continuará superando de longe o oferecido pela caderneta poupança, com rendimento de até 6% para o período de 12 meses. Veja quadro abaixo:

Com conteúdo do portal g1


Investir em quê? Encontre e compare investimentos de todo o mercado

Parceiro da Inteligência Financeira, o Investir em Quê? é sua fonte confiável para buscar onde investir com isenção, transparência e sem complicação

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 11h27
Ibovespa sobe com ajuda de Vale e siderúrgicas

Mercado acionário doméstico resiste a nova abertura negativa em NY

Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

Manhã Inteligente Publicado em 19.maio.2022 às 10h26
Guerra na Ucrânia, queda das ações da Amazon, Madonna e NFTs

Isabella Carvalho e Ítalo Martinelli falam sobre os assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (19)

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

Valor Econômico Atualizado em 19.maio.2022 às 08h39
Cenário global desperta interesse por Brasil, diz executivo da bolsa de Nova York

Chefe de mercados internacionais da bolsa de Nova York aponta que ADRs brasileiros são um dos ativos mais líquidos no mercado americano atualmente

Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h12
Grandes investidores ampliam dinheiro em caixa para maior patamar desde atentados de 11 de setembro

Preferência por dinheiro vivo coincide com enfraquecimento significativo das expectativas quanto aos lucros das empresas

Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h03
Nos EUA, esta pode ser uma década perdida para ações

Aumento de custos e aperto monetário devem pressionar margens de empresas dos EUA