BDRs do Banco Inter estreiam na B3 após reorganização societária

Os papéis do banco migraram para a bolsa americana Nasdaq

Foto: Divulgação Inter

Os BDRs (recibos de ações) da holding do Banco Inter (Inter&Co) começaram a ser negociados nesta segunda-feira (20) na B3, com a reorganização societária que culminou com a migração dos papéis do banco para a bolsa americana Nasdaq. Os BDRs, cujo código é INBR31, operavam em alta de 0,96% por volta das 16h15, a R$ 21,00.

A sexta-feira passada (17) foi o último dia de negociação das units do Inter (BIDI3, BIDI4, BIDI11) na bolsa brasileira.

Conforme o cronograma da reorganização societária, a próxima quarta-feira (22) é a data a partir da qual os acionistas podem solicitar o desfazimento dos BDRs para ficar com ações da holding Inter&Co a serem negociadas na Nasdaq. Essa é a data em que os recibos de ações constarão dos extratos dos acionistas e também quando serão apuradas as frações de ações.

Na quinta-feira (23), está prevista a entrega das ações Classe A da Inter&Co para os acionistas que solicitaram o desfazimento de BDRs. A quinta-feira também é a data estimada para a estreia das ações Classe A na bolsa americana.

Para cada seis ações preferenciais do Inter e/ou seis ordinárias, o acionista recebe um BDR. Para cada duas units, também é entregue um BDR.

O Inter informa também que, durante os 30 primeiros dias de negociação dos BDRs na B3, o banco subsidiará todas as taxas referentes a essa conversão. Após esse prazo, os custos serão de responsabilidade do acionista.

Os acionistas – detentores dos papéis até 15 de abril, data em que a operação foi anunciada – que não quiseram ficar com os papéis da Inter&Co tiveram até 20 de maio para optar por receber sua parte em dinheiro (). Cada seis ações preferenciais ou seis ordinárias equivalem a uma ação preferencial PN resgatável. Duas units também correspondem a uma PN resgatável, cujo .

A reorganização societária do banco Inter foi em assembleia geral extraordinária (AGE) em 12 de maio. Segundo o Inter, ao listar as ações da holding Inter&Co nos Estados Unidos, o banco se fortalece como uma companhia global de tecnologia, com acesso ao mercado de capitais mais maduro do mundo. “Aumentaremos e diversificaremos nossa base de investidores, clientes, serviços e produtos”, diz o banco, ressaltando ainda as oportunidades de expansão futura nos mercados internacionais.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

1 min
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

1 min
Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h23
Track&Field anuncia programa de recompra de ações; conheça a estratégia

Muitos motivos levam uma empresa a realizar uma OPA, e você pode ganhar dinheiro com isso

6 min
Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h13
Dólar dispara e supera R$ 5,33 com temores de recessão global no radar

Mercado também repercute aprovação de PEC que libera gasto bilionário às vésperas das eleições

2 min