IF HOJE: Orçamento de 2022 é discutido em Brasília

Documento determina o quanto e como o governo irá gastar no próximo ano

Foto: Pedro França/Agência Senado

A Comissão Mista de Orçamento deve votar nesta terça-feira (21) o parecer ao relatório do Orçamento de 2022, feito pelo deputado Hugo Leal (PSD-RJ). O documento determina o quanto e como o governo irá gastar no próximo ano. A análise deve começar às 10h.

O relatório final foi alvo de críticas dado o aumento dos recursos destinados ao Fundo Eleitoral e falta de reajuste aos servidores. O presidente Jair Bolsonaro, porém, pressiona por um reajuste aos policiais, que compõem sua base eleitoral.

Outro ponto controverso é o salário mínimo. No relatório, Leal prevê um aumento de R$ 1.169 para R$ 1.210, o que deixa 2022 como o terceiro ano seguido sem reajuste real, ou seja, acima da inflação.

De início são mais de R$ 2 trilhões nas receitas primárias, mas ainda devem ser negociados ajustes e apresentados destaques. Especula-se uma tentativa de aumentar o valor da parcela mínima do Auxílio Brasil no próximo ano de R$ 400 para R$ 600, o que aumentaria os gastos da União.

Após a aprovação na Comissão, o texto será debatido nos plenários da Câmara e do Senado.

Por que importa?

A credibilidade do Brasil perante investidores depende da sua solidez financeira. Na prática, um país em desenvolvimento não deve gastar quase tudo o que produz para não endividar o estado e enfraquecer a economia, como já aconteceu diversas vezes na história com diversos países —vide Argentina.

Com um crescente déficit fiscal, o Orçamento brasileiro é sempre acompanhado de perto.

Como afeta seus investimentos?

Caso os gastos excedam as expectativas, ativos brasileiros podem se desvalorizar, enquanto o dólar e ouro, tidos como portos seguros, ganham valor. Ao mesmo tempo, os juros futuros podem subir, deixando ativos de renda fixa pós-fixados mais atrativos.

Do contrário, o real pode subir ante o dólar e o Ibovespa, se recuperar.

Fique por dentro:

Congresso em baixa

Uma pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (21) mostra que 41% dos brasileiros reprovam a atuação do Congresso Nacional. Outros 10% aprovam — o menor índice da atual legislatura, que começou em 2019.

Para acompanhar hoje:

04h: clima do consumidor na Alemanha janeiro

06h: vendas da indústria na Itália em outubro

12h: confiança do consumidor na zona do euro em dezembro

16h: taxa de desemprego na Argentina no terceiro trimestre

20h50: ata da reunião de política monetária do Japão


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h01
Bolsas de NY apontam para recuperação na sessão desta sexta

Mercado americano vem de dois pregões seguidos de queda

Manhã Inteligente Publicado em 20.maio.2022 às 10h40
ETFs de renda fixa, privatização da Eletrobras, queda de lucro de empresas

Isabella Carvalho e Caio Camargo falam sobre esses e outros assuntos que podem afetar seus investimentos nesta sexta (20)

Redação IF Atualizado em 20.maio.2022 às 10h38
O que Elon Musk deve discutir na passagem pelo Brasil

Bilionário terá encontro com o presidente Jair Bolsonaro e empresários

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h16
Bolsas asiáticas fecham em alta após China cortar taxa de juros

Mesmo assim, os investidores seguem atentos à perspectiva de aumento dos juros nos EUA

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h09
Fundos de ações de Petrobras e Vale renderam até 25 vezes mais que o FGTS desde o lançamento

Trabalhador poderá usar dinheiro do fundo de garantia para comprar ações da Eletrobras

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 18h15
Trabalhador poderá usar até 50% do saldo do FGTS na privatização da Eletrobras

Valor mínimo do investimento é de R$ 200. Governo estabeleceu R$ 6 bilhões como teto global para uso do Fundo, o que pode reduzir percentual que cada trabalhador poderá investir