IF Hoje: Mercados começam semana tensos à espera de decisões sobre juros; bitcoin desaba 13%

Bolsas asiáticas e europeias têm fortes quedas com aumento da aversão ao risco

Prédio da B3 Bovespa Bolsa Balcão em São Paulo
A Bolsa brasileira B3, em São Paulo (Foto: Divulgação)

As principais Bolsas asiáticas fecharam em queda de mais de 3% e as europeias recuam mais de 2% na manhã desta segunda-feira (13), indicando a debandada dos investidores de ativos de risco diante da perspectiva de continuidade do aumento de juros globalmente para tentar debelar a inflação, que atingiu recordes históricos em toda parte neste ano.

Na quarta (15), o Fed (Federal Reserve, banco central americano), anuncia sua decisão de estratégia de política monetária. A ampla expectativa do mercado é de uma elevação de 0,5 ponto percentual, para o intervalo 1,25%-1,75% ao ano. Com os títulos do Tesouro do país tido como mais seguro do mundo dando mais retorno, os investidores se livram de ativos de maior risco, como as ações de empresas negociadas em Bolsa, e correm para os Treasuries.

Mesmo as ações americanas tendem a sofrer nesse cenário: às 7h41 (horário de Brasília), o contrato futuro do índice S&P 500 recuava 2,91%, enquanto o Dow Jones perdia 2,73%, e o Nasdaq caía 3,5%. A Bolsa brasileira B3 deve começar o dia em queda também.

Mas não só essa busca por um porto seguro explica a queda das Bolsas. O aumento de juros tem como efeito esperado baixar a inflação ao desaquecer a economia. O medo dos investidores é de que esse desaquecimento possa jogar os países em recessão. Ficaria muito mais difícil para as empresas dar lucro, então suas ações também perdem valor por esse motivo.

Se a expectativa de queda forte se confirmar, o S&P 500 pode entrar em território de bear market – o que acontece quando cai mais de 20% do seu último pico. Nesta manhã, o contrato futuro do índice já aponta para uma baixa de 19%.

Enquanto esperam a decisão do Fed, uma boa parte dos investidores, especialmente os de longo prazo, tendem a evitar mudar suas posições, o que deixa o mercado com menos liquidez. Em busca de pistas sobre o que pretende fazer o BC americano, os investidores escutam com toda a atenção o discurso de Lael Brainard, vice-presidente do comitê de política monetária do Fed, às 15h (de Brasília). É o único evento econômico importante agendado para esta segunda (13).

Criptomoedas desabam

As criptomoedas nasceram como ideia de moeda alternativa, porém cada vez mais seu comportamento se assemelha ao de ativos de risco tradicionais. Há pouco, o bitcoin perdia 13%, cotado a US$ 23.929, e o ethereum despencava 17,9%, para US$ 1.219. Esse movimento dá uma boa medida do grau de preocupação no mercado global agora.

E o Brasil?

O Brasil também tem decisão de política monetária nesta semana. Também na quarta (15), o Banco Central anuncia o que vai fazer com a taxa básica Selic. Como a inflação no país está muito elevada, a maioria das apostas é de que seja elevada em 0,5 ponto percenrual, para 13,25% ao ano.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

1 min
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

1 min
Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

2 min
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h28
Bilionários dão adeus a US$ 1,4 tri no 1º semestre; veja quem perdeu mais

A fortuna de Elon Musk caiu quase US$ 62 bilhões. Jeff Bezos viu sua riqueza diminuir em cerca de US$ 63 bilhões. O patrimônio líquido de Mark Zuckerberg foi reduzido em mais da metade

4 min
Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h08
Efeito bumerangue: entenda como quem tem menos grana vai pagar, no futuro, a conta da ‘PEC Eleitoral’

Aumento de gastos tende a pressionar a inflação e prejudicam, principalmente, as pessoas de menor poder aquisitivo

4 min