Ibovespa termina pregão em queda por preocupações com Petrobras

Ação preferencial da petroleira caiu quase 2%

Ações, Bolsa de Valores, Mercado, Investimentos, Pregão, Day Trade, Ibovespa, Quebra, Queda, Papéis
(Foto: Getty Images)

O Ibovespa voltou ao campo negativo na sessão de hoje, se descolando de seus pares internacionais. Possíveis intervenções na Petrobras e até na Lei das Estatais, por conta do avanço dos preços dos combustíveis, voltaram a contaminar os negócios e impediram um movimento mais construtivo.

Após ajustes, o Ibovespa fechou em queda de 0,17%, aos 99.684 pontos, variando entre os 99.167 pontos na mínima intradiária e os 101.069 pontos na máxima. Entre as maiores altas da sessão, Qualicorp ON subiu 6,68%, WEG ON cresceu 4,98% e IRB Brasil ON avançou 4,04%. Na outra ponta, Petrobras ON e PN recuaram 1,06% e 1,99%, nessa ordem, Banco do Brasil ON perdeu 4,1% e Cogna ON cedeu 4,76%.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h23
Track&Field anuncia programa de recompra de ações; conheça a estratégia

Muitos motivos levam uma empresa a realizar uma OPA, e você pode ganhar dinheiro com isso

Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 11h39
Análise: PEC dos Combustíveis dificulta o trabalho do Banco Central para baixar a inflação

O assunto novo levantado pelo Copom em junho é o risco de as medidas colocarem o pé no acelerador da economia, num momento em que a política monetária pisa no freio

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 11h35
Análise: De olho no voto útil, Lula retoma pontes com empresários e empodera “guru” econômico

Ex-presidente, antes refratário a assumir compromissos na campanha, antecipa série de conversas com o PIB, diz Fábio Zambeli, do JOTA