Genéricos crescem mais do que o mercado total pelo segundo ano consecutivo

Em 12 meses terminados em novembro, o volume comercializado cresceu 6,57%, no comparativo com o mesmo período de 2020

(Foto: freestocks/Unsplash)

As fabricantes de genéricos vivem um bom momento pelo segundo ano consecutivo. Com a queda da renda da população brasileira, esse tipo de medicamento foi a alternativa para manter o tratamento de doenças como pressão alta e diabetes.

Em 12 meses terminados em novembro, o volume comercializado cresceu 6,57%, no comparativo com o mesmo período de 2020. Foram 1,736 bilhão de unidades de genéricos vendidas no varejo farmacêutico do país, 107 milhões de unidades a mais que o verificado no ano anterior, segundo dados do IQVIA, empresa que audita ov arejo farmacêutico no país.

De acordo com os dados, os genéricos cresceram quase o dobro do mercado farmacêutico total, que registrou 3,91% de expansão em unidades nos últimos 12 meses móveis. “Os dados confirmam mais uma vez que os genéricos são o motor de crescimento da indústria e o principal instrumento de acesso a medicamentos no país”, diz Telma Salles, presidente da PróGenéricos.

Segundo ela, a participação dos genéricos nas vendas do mercado total chega a 36%, se contabilizar os negócios no segmento institucional, a fatia dos genéricos chega a 50%. “Nesses dois anos, as empresas conseguiram entregar os seus produtos e não desabasteceram o mercado. Apesar de tudo, os genéricos conseguiram crescer mais que o mercado total. Dos 20 medicamentos mais prescritos no país, 15 são genéricos.”

Salles ressaltou, ainda, que o crescimento dos genéricos frente aos medicamentos de referência foi ainda mais acentuado. Este segmento registrou expansão deapenas 2,23% no período analisado. “Com descontos atrativos em relação aos medicamentos inovadores, os genéricos se tornaram o porto seguro dos consumidores para manter em dia os tratamentos, preservando orçamento familiar,neste momento de queda da massa salarial e alta de desemprego”, avalia Salles.

“A economia proporcionada aos consumidores desde que osg enéricos chegaram ao mercado em 2000 já soma R$ 202 bilhões, considerando apenas o desconto de 35% previsto em lei para este tipo de medicamento.” Dentre os produtos mais vendidos nesses 12 meses, o anti-hipertensivo losartana, o analgésico dipirona sódica e o diurético hidrocloritiazida se destacam no período, deacordo com os dados.

Além disso, um dos segmentos de destaque no acumulado até novembro no canal farmácia foi o de medicamentos para controle do colesterol. Os genéricos cresceram 8,42% neste estrato, enquanto os medicamentos de referência encolheram 1,03%. Os genéricos também experimentaram forte crescimento no segmento de anti-depressivos, com expansão de 14,65%, contra crescimento de 0,47% nos medicamentos de referência.

Para 2022, Salles acredita que o segmento deve manter o desempenho, pois, há fatores que podem estimular as vendas de genéricos. Como o lançamento de moléculas que era protegidas pelo parágrafo único do Artigo 40, da Lei de Patentes,que foi derrubado este ano e pode estimular o desenvolvimento de novos medicamentos.

“Estamos em um ambiente seguro do ponto de vista jurídico. A insegurança não permitia as empresas apostarem no escuro. Acredito que a próxima década será muito positiva para a população e para as empresas com a possibilidade deaumento do portfólio de genéricos no país.”


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 10.maio.2022 às 14h21
3 min
Fernanda Bottoni Publicado em 06.maio.2022 às 11h00
Quanto custa a fertilização in vitro?

O Dia das Mães pode te inspirar a planejar financeiramente a chegada do bebê mais fofo do mundo

4 min
Redação IF Publicado em 22.abr.2022 às 14h56
Governo oficializa fim do estado de emergência da covid-19

A melhora no quadro epidemiológico foi o principal fator que motivou a decisão

1 min
Redação IF Publicado em 18.abr.2022 às 07h27
Ministro anuncia fim da Emergência em Saúde Pública por conta da covid

Queiroga atribuiu a media 'à melhora do cenário epidemiológico, à ampla cobertura vacinal da população e à capacidade de assistência do SUS'

5 min
Redação IF Publicado em 06.abr.2022 às 08h10
Plano de saúde pode ter reajuste de até 18% neste ano, o maior em duas décadas

Aumento de custos e maior procura após pandemia favorecem encarecimento, dizem analistas

4 min
Redação IF Publicado em 30.mar.2022 às 11h41
Governo quer anunciar ‘fim da pandemia’ nesta quinta-feira; saiba o que pode mudar

Colunista Lauro Jardim, em 'O Globo', diz que Bolsonaro vem pressionando o ministro Marcelo Queiroga para tomar a decisão

2 min
Redação IF Atualizado em 30.mar.2022 às 10h16
Preço dos medicamentos no país pode subir 10,9% a partir de amanhã

O reajuste é válido para cerca de 13 mil medicamentos sujeitos a prescrição médica, vendidos nas farmácias brasileiras

2 min