TC refuta acusações de vídeo e diz que vai colaborar com CVM para combater informações falsas

Ações da plataforma de investimentos tiveram forte queda na quinta

Foto: Divulgação

O TC (Traders Club) divulgou fato relevante na noite de quinta-feira com esclarecimentos sobre a oscilação atípica de suas ações nesta quinta-feira.

A empresa diz ter tomado conhecimento da existência de um vídeo que circula em grupos de WhatsApp que imputa ao TC a prática de condutas ilícitas e incentiva investidores a fazer denúncias contra a companhia.

O texto refuta as acusações e diz que o TC não tem conhecimento de qualquer procedimento administrativo sancionador instaurado e em andamento perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou a BSM Supervisão de Mercados, relacionado a eventuais ilícitos do TC ou de seus colaboradores. Afirma ainda que está adotando medidas legais cabíveis para identificação e responsabilização dos autores do vídeo.

O texto, assinado pelo diretor de relações com investidores do TC, Pedro Medeiros Machado, diz que os valores mobiliários de emissão da companhia sofreram uma oscilação atípica, que pode estar relacionada à divulgação do vídeo. A empresa diz ser alvo de uma campanha de desinformação e que a divulgação desse tipo de conteúdo, de autoria não identificada, pode ser uma forma de manipulação de mercado.

A empresa afirma que irá “cooperar e atuar de forma proativa perante a CVM para compartilhar quaisquer informações que consiga reunir acerca dos autores do vídeo, auxiliando no combate à disseminação de informações e acusações falsas e outras práticas que atentem contra o regular funcionamento do mercado”.

As ações do TC fecharam o dia em queda de 27,25%, negociadas a R$ 4,78.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico