Startup de implantes cerebrais de Elon Musk avança em direção a testes em humanos

O implante cerebral da Neuralink — que Musk disse que já permite que macacos joguem videogame apenas com seus pensamentos — destina-se a ajudar a tratar uma variedade de distúrbios neurológicos

Foto: Mike Blake/Reuters

A empresa de implantes cerebrais de Elon Musk, Neuralink, está contratando um diretor de ensaios clínicos, uma indicação de que o objetivo de longa data de implantar chips em cérebros humanos está se aproximando. O cargo de diretor de testes supervisionaria os testes humanos há muito prometidos pela startup.

O implante cerebral da Neuralink — que Musk disse que já permite que macacos joguem videogame apenas com seus pensamentos — destina-se a ajudar a tratar uma variedade de distúrbios neurológicos, como paralisia.

A descrição do cargo promete que o candidato “trabalhará em estreita colaboração com alguns dos médicos e engenheiros mais inovadores”, bem como com “os primeiros participantes de ensaios clínicos da Neuralink”. Também indica que o trabalho significará liderar e construir “a equipe responsável por viabilizar as atividades de pesquisa clínica da Neuralink”, bem como aderir aos regulamentos.

No mês passado, Musk disse ao Wall Street Journal que a Neuralink esperava implantar seu dispositivo em cérebros humanos em algum momento de 2022. No entanto, ele fez previsões semelhantes no passado que se mostraram excessivamente otimistas – inclusive em 2019, quando disse durante uma apresentação que o dispositivo estaria em crânios humanos no ano seguinte.

O primeiro teste que os fabricantes de dispositivos médicos devem passar é pela análise da Food and Drug Administration dos EUA (uma agência como a Anvisa). O próximo passo é um teste de dispositivo fundamental. Não está exatamente claro em que momento a Neuralink está nesse processo.

Representantes da Neuralink e da FDA não responderam aos pedidos de comentários.

Geralmente, os fabricantes de dispositivos contratam diretores de testes no início de sua interação com o FDA, para ajudar a projetar testes de forma a maximizar as chances de aprovação.

No momento, não há testes em humanos da Neuralink publicados no site clinicaltrials.gov, mas as publicações podem atrasar o recrutamento dos primeiros pacientes.

No ano passado, a Synchron, outra empresa que trabalha em interfaces cérebro- máquina, disse que o FDA aprovou seu estudo de viabilidade planejado. A Synchron está atualmente na fase de recrutamento, disse um porta-voz.

A Neuralink também está procurando um coordenador de estudos clínicos com sede em Fremont, bem como vários outros cargos.


Você também pode gostar
Entrevista da Semana Atualizado em 22.jun.2022 às 15h30
Por que é tão difícil empreender no Brasil?

Por que é tão difícil empreender no Brasil e quais são os erros de quem está começando? Flávia Paixão responde a essas e outras perguntas

Redação IF Publicado em 27.maio.2022 às 07h31
Vtex demite 193 pessoas e entra na onda de cortes das startups

As demissões representam 11,3% do quadro de 1.700 funcionários da empresa

Valor Econômico Atualizado em 14.maio.2022 às 07h21
Autismo: o que Elon Musk, Anthony Hopkins e Greta Thunberg têm em comum e vai além do óbvio

Os cientistas ainda lutam para entender o processo que leva ao autismo, mas há avanços significativos para celebrar

15 min
Redação IF Atualizado em 14.abr.2022 às 19h02
O que tem a MoonPay, startup de criptomoedas, que atraiu Bieber, Snoop Dogg e Bruce Willis?

A startup de pagamentos de criptomoedas levantou US$ 87 milhões com mais de 60 celebridades

José Eduardo Costa Publicado em 13.abr.2022 às 11h55
Startup unico, de soluções de identidade digital, recebe aporte de US$ 100 milhões liderado por Goldman Sachs

Além do aporte, o Goldman Sachs passa a ter participação no conselho da unico, tornando-se investidor e parceiro estratégico do negócio