Piora no ambiente econômico leva empresas a adiarem IPOs

Escalada da inflação, projeções de menor crescimento do PIB em 2022 e turbulências políticas têm esfriado os ânimos das companhias com planos de ir à bolsa

Investidores observam painel no prédio da Bolsa de Valores em São Paulo
Pessoas observam painel eletrônico da da Bolsa de Valores, com gráfico do Ibovespa (Foto: Marco Ankosqui/Agência O Globo)

Pontos-chave

  • Há previsão de que cerca de dez companhias ainda irão à bolsa neste ano
  • Até R$ 10 bilhões poderão ser movimentados nas últimas ofertas de 2021
  • Outros IPOs previstos devem ser retomados a partir de fevereiro de 2022

Empresas com planos de ir à bolsa neste semestre resolveram postegar suas ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês). Foram determinantes para os adiamentos o ambiente econômico desfavorável – com inflação alta e projeção de crescimento menor do PIB no ano que vem – e as turbulências políticas.

Com a piora dos mercados a partir de agosto, a perspectiva era de que somente poucas e boas ofertas deveriam ser precificadas neste mês: a empresa de energia Comerc e a Environmental ESG, subsidiária da Ambipar, eram dadas como certas, mas ambas foram suspensas. A Vibra (ex-BR Distribuidora) comprou a Comerc, holding que reúne negócios de energia, atropelando o IPO da companhia. Já a Environmental ESG cancelou a operação por causa do ambiente do mercado.

É o caso da farmacêutica Althaia, do empresário Jairo Yamamoto. Ele diz que deve aguardar o cenário melhorar e ir à bolsa no primeiro semestre do ano que vem. O grupo petroquímico Unigel também vai deixar os planos para 2022, apurou o Valor.

A rede de academias BlueFit cancelou a abertura de capital marcado para o dia 28 de setembro, após um desempenho na turnê de apresentação aos investidores abaixo do esperado. A expectativa de conseguir arrecadar 600 milhões de reais com a abertura de capital não foi superada, mesmo depois do desconto de aproximadamente 20% dado no preço das ações para aumentar a atratividade do mercado. Com o desconto, o preço dos papeis passou a cerca de 9,20 reais na sexta-feira, 24, o que levaria a uma arrecadação de 300 milhões de reais com o IPO.

Agora a abertura de capital deve se tornar uma oferta restrita para investidores institucionais, entre eles, fundos e fundações, ainda sem data definida de estreia.

Apesar da perspectiva de menos ofertas, as transações de IPOs e “follow ons” no acumulado de 2021, até setembro, bateram a marca de 2020, movimentando R$ 123,6 bilhões. No mesmo período do ano passado, o total foi de R$ 69,2 bilhões.

De acordo com Gustavo Miranda, do Banco Santander, a crise econômica tem impacto nas receitas de empresas e pode elevar os custos. Para ele, as companhias devem recorrer ao mercado em fevereiro de 2022.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h34
Bolsas europeias e futuros de NY têm alta moderada, antes da ata do Fed

À espera do documento, no pré-mercado em NY, o futuro do S&P 500 tinha leve alta de 0,06% e do Nasdaq avançava 0,18%

3 min
Valor Econômico Publicado em 25.maio.2022 às 07h36
Após nova troca, ações da Petrobras caem

Investidor volta a analisar peso político, mas efeito na bolsa foi limitado por ativo ser considerado barato

5 min
Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 19h58
‘Travamos o bom combate’, disse Coelho, por WhatsApp, em mensagem de despedida

Funcionários relatam clima de falta de rumo com demissão de José Mauro Coelho; indicado para o posto é Caio Paes de Andrade

3 min
Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h18
ADRs da Petrobras recuam 3,8% em NY com troca no comando e data de corte de dividendos

Os recibos de ações (ADRs) referenciados nas ações ordinárias da Petrobras fecharam em queda de 3,80% na bolsa de Nova York

1 min
Glossário IF Publicado em 24.maio.2022 às 17h24
B3: como surgiu, qual é sua história, o que ela faz?

A Bolsa de Valores brasileira é uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Saiba mais no Glossário IF

Redação IF Atualizado em 25.maio.2022 às 08h00
Nubank renova mínimas históricas e já vale menos que o BTG. Efeito colateral do fim do lock-up?

Valor de mercado do Nubank corresponde a menos de um terço do Itaú, que vale US$ 48,8 bilhões; no IPO em dezembro, o Nubank estreou com valor de US$ 41,5 bilhões

2 min