Petrobras nega reserva de R$ 200 bilhões para distribuição de lucros

Companhia é alvo de críticas por parte de políticos da base governista

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A Petrobras disse não ser verdadeira a notícia de que existe uma reserva de R$ 200 bilhões para distribuição de lucros. Segundo a companhia, o valor de R$ 208,6 bilhões citado nas demonstrações financeiras do primeiro trimestre de 2022 como “reserva de lucros” inclui diversos itens, como reservas legais e reservas de incentivos fiscais.

A empresa informou, em comunicado ao mercado, que a reserva legal inclui R$ 25,5 bilhões e a reserva de incentivos fiscais soma R$ 3,6 bilhões, utilizadas para compensar prejuízos fiscais ou aumento do capital social, se houver necessidade. Já a reserva estatutária, de R$ 8,6 bilhões, é destinada ao custeio de programas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico, diz.

A reserva de retenção de lucros, por sua vez, soma R$ 89 bilhões, é voltada prioritariamente à aplicação de investimentos previstos no orçamento de capital da Petrobras, e também pode ser utilizada para absorção de prejuízo, aumento de capital ou distribuição de dividendos, conforme previsão legal, diz a empresa.

“Importante reforçar que a reserva de lucros foi constituída ao longo dos anos em conformidade com a Lei das Sociedades por Ação e Estatuto Social da companhia e não configura obrigação de desembolso”, segundo a empresa. Ainda de acordo com a Petrobras, suas demonstrações financeiras seguem padrões internacionais, estão conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil e são revisadas por auditores independentes.

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro disse à apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada que a Petrobras tem meta de atingir R$ 200 bilhões em distribuição de dividendos a acionistas neste ano, segundo relatos da mídia. Ele também voltou a defender a instauração no Congresso de uma CPI para investigar a Petrobras, diante dos seguidos aumentos dos preços dos combustíveis promovidos pela companhia.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h28
Bilionários dão adeus a US$ 1,4 tri no 1º semestre; veja quem perdeu mais

A fortuna de Elon Musk caiu quase US$ 62 bilhões. Jeff Bezos viu sua riqueza diminuir em cerca de US$ 63 bilhões. O patrimônio líquido de Mark Zuckerberg foi reduzido em mais da metade

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h23
Track&Field anuncia programa de recompra de ações; conheça a estratégia

Muitos motivos levam uma empresa a realizar uma OPA, e você pode ganhar dinheiro com isso

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h08
Efeito bumerangue: entenda como quem tem menos grana vai pagar, no futuro, a conta da ‘PEC Eleitoral’

Aumento de gastos tende a pressionar a inflação e prejudicam, principalmente, as pessoas de menor poder aquisitivo