Nubank renova mínimas históricas; Itaú BBA vê possível distorção de preço

O Nubank divulga seus resultados do primeiro trimestre no dia 16. Confira expectativa dos analistas

— Foto: Divulgação

As ações do Nubank seguem em baixa nesta quarta-feira, renovando mínimas históricas. Os mercados aguardam a decisão do Federal Reserve nesta tarde, e o Nubank ainda é afetado pelo do período de lock-up, que pode dispensar uma quantidade enorme de ações no mercado.

Por volta das 12h15, as ações do Nubank caíam 2,10% na Bolsa de Nova York, a US$ 5,36. Na mínima do dia, tocaram US$ 5,25.

Em relatório, o Itaú BBA afirma que a notícia do fim do lock-up, resultados fracos no primeiro trimestre e outras notícias podem levar a uma distorção de preços das ações do Nubank no curto prazo. Eles divulgaram um estudo com diversos modelos de valuation, sendo que a média aponta para um preço de US$ 6 a US$ 7 para o papel. Em um cenário negativo, a faixa chegaria a um patamar entre US$ 3 e US$ 4, e na ponta oposta, com um cenário positivo, subiria acima de US$ 8.

“Os fundamentos vão prevalecer e mais liquidez pode na verdade ajudar na descoberta de preços para o Nubank. […] O próximo ano deve ser de menor pressão nas despesas de provisão (menos aumentos de inadimplência, menor crescimento da carteira de empréstimos), enquanto as receitas da margem financeirão aumentam para diluir as despesas operacionais”, diz o relatório do Itaú BBA.

O Nubank divulga seus resultados do primeiro trimestre no dia 16 e os analistas do Itaú BBA estimam prejuízo de R$ 371 milhões. Eles têm recomendação de “venda” para o papel, com preço-alvo de US$ 6,6.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 11h27
Ibovespa sobe com ajuda de Vale e siderúrgicas

Mercado acionário doméstico resiste a nova abertura negativa em NY

Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

Valor Econômico Atualizado em 19.maio.2022 às 08h39
Cenário global desperta interesse por Brasil, diz executivo da bolsa de Nova York

Chefe de mercados internacionais da bolsa de Nova York aponta que ADRs brasileiros são um dos ativos mais líquidos no mercado americano atualmente

Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h12
Grandes investidores ampliam dinheiro em caixa para maior patamar desde atentados de 11 de setembro

Preferência por dinheiro vivo coincide com enfraquecimento significativo das expectativas quanto aos lucros das empresas

Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h03
Nos EUA, esta pode ser uma década perdida para ações

Aumento de custos e aperto monetário devem pressionar margens de empresas dos EUA