Governador da Flórida articula fim de benefícios para a Walt Disney World

Distrito especial ajuda a companhia a reduzir despesas em dezenas de milhões de dólares por ano

Foto: Pixabay

O governador da Flórida, Ron DeSantis, escalou sua briga com a Disney nesta terça-feira e pediu para que o legislativo do estado discuta uma lei para acabar com benefícios fiscais e administrativos dos parques da Walt Disney World, em Orlando, que permitem que a empresa governe de fato o local.

DeSantis, que faz parte do Partido Republicano, está brigando com a companhia por conta da oposição da Disney a lei Parental Rights in Education, que proíbe ensino de orientação sexual e identidade de gênero para crianças. A empresa está retendo contribuições para campanhas políticas em protesto.

Em um evento, o governador disse que os deputados da Flórida vão discutir ainda nesta semana uma lei para analisar a constitucionalidade dos distritos fiscais especiais, como o Reedy Creek Improvement District, onde ficam os parques. O distrito permite que empresa atue com a mesma autoridade e responsabilidade que um governo de condado.

O governador agradeceu líderes do legislativo por abraçarem o tema e caminhar para o fim dos distritos especiais no estado, o que DeSantis considera muito importante. A figura dos distritos especiais foi criada antes da constituição da Flórida e nunca foi de fato incorporada na lei desde então.

O principal benefício do status de distrito fiscal especial da Walt Disney World é uma maior flexibilidade na administração dos parques, dizem pessoas ligadas a companhia. Reedy Creek pode atuar fora de regulações de construção e ambientais, além de ser isenta de alguns impostos e taxas estaduais.

O impacto financeiro que uma revogação da lei teria para a Disney é incerto, mas fontes afirmam que estudo feito pela empresa na década passada mostrou que o distrito especial ajuda a companhia a reduzir despesas em dezenas de milhões de dólares por ano.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 12h37
Dólar opera em queda, abaixo dos R$ 4,95, de olho no exterior

O movimento reflete o enfraquecimento da moeda americana frente outras divisas emergentes

1 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 11h27
Ibovespa sobe com ajuda de Vale e siderúrgicas

Mercado acionário doméstico resiste a nova abertura negativa em NY

2 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 10h53
Como o trabalhador poderá usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras

Tipo de investimento já foi feito anteriormente em vendas de ações da Petrobras e da Vale

3 min
Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

3 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 09h06
IGP-M desacelera para 0,39% na segunda prévia de maio, aponta FGV

Houve recuos nos preços ao produtor, ao consumidor e nos custos da construção

1 min
Valor Econômico Atualizado em 19.maio.2022 às 08h39
Cenário global desperta interesse por Brasil, diz executivo da bolsa de Nova York

Chefe de mercados internacionais da bolsa de Nova York aponta que ADRs brasileiros são um dos ativos mais líquidos no mercado americano atualmente

4 min
Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h12
Grandes investidores ampliam dinheiro em caixa para maior patamar desde atentados de 11 de setembro

Preferência por dinheiro vivo coincide com enfraquecimento significativo das expectativas quanto aos lucros das empresas

4 min
Valor Econômico Publicado em 19.maio.2022 às 06h03
Nos EUA, esta pode ser uma década perdida para ações

Aumento de custos e aperto monetário devem pressionar margens de empresas dos EUA

4 min