Cade aprova com restrições a compra da Unidas pela Localiza, que vê ações subirem mais de 4%

Negócio une a maior empresa de locação e gestão de frota de veículos do país com a segunda maior do setor

Foto: Divulgação

O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deu aval nesta quarta-feira (15) à compra da Unidas pela Localiza. A fusão da maior empresa de locação e gestão de frota de veículos do país (Localiza) com a segunda maior do setor (Unidas) foi condicionada à adoção de medidas para minimizar o risco de abuso de poder econômico no mercado e tentar evitar prejuízo à concorrência.

No acordo firmado com o Cade, as empresas se comprometeram a alienar a rede de agências, lojas, sistemas e parcela da frota operacional pertencente à Unidas. O compromisso também envolve um grande desinvestimento em aluguel de veículos (RAC) pelos próximos três anos. Foi estabelecida ainda a condição de a Localiza encerrar a cláusula de não concorrência com a norte-americana Vanguard, dona das marcas National, Enterprise e Alamo.

O objetivo desse medida, na avaliação do tribunal, é reduzir consideravelmente as barreiras à entrada de um grande player internacional no segmento de aluguel de veículos. “O compromisso não seria uma garantia de ingresso, apenas propiciaria maior celeridade, caso a companhia desejasse entrar no mercado brasileiro”, explicou a relatora do caso, conselheira Lenisa Prado.

Às 15h15, as ações da Localiza tinham alta de 4,28% na Bolsa brasileira, negociadas a R$ 59,95, enquanto os papéis da Cia de Locação das Américas (Locamerica), fusão da Unidas com a Locamerica, subiam 5,14% na B3, a R$ 26,80.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h34
Bolsas europeias e futuros de NY têm alta moderada, antes da ata do Fed

À espera do documento, no pré-mercado em NY, o futuro do S&P 500 tinha leve alta de 0,06% e do Nasdaq avançava 0,18%

3 min
Valor Econômico Publicado em 25.maio.2022 às 07h36
Após nova troca, ações da Petrobras caem

Investidor volta a analisar peso político, mas efeito na bolsa foi limitado por ativo ser considerado barato

5 min
Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 19h58
‘Travamos o bom combate’, disse Coelho, por WhatsApp, em mensagem de despedida

Funcionários relatam clima de falta de rumo com demissão de José Mauro Coelho; indicado para o posto é Caio Paes de Andrade

3 min
Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h18
ADRs da Petrobras recuam 3,8% em NY com troca no comando e data de corte de dividendos

Os recibos de ações (ADRs) referenciados nas ações ordinárias da Petrobras fecharam em queda de 3,80% na bolsa de Nova York

1 min
Redação IF Atualizado em 25.maio.2022 às 08h00
Nubank renova mínimas históricas e já vale menos que o BTG. Efeito colateral do fim do lock-up?

Valor de mercado do Nubank corresponde a menos de um terço do Itaú, que vale US$ 48,8 bilhões; no IPO em dezembro, o Nubank estreou com valor de US$ 41,5 bilhões

2 min
Redação IF Publicado em 24.maio.2022 às 07h56
Citi: nova troca cria riscos na estratégia de longo prazo da Petrobras

Banco destaca em relatório uma 'significativa interferência externa' na empresa

2 min