Eleitores têm mais medo de permanência de Bolsonaro do que de volta do PT, diz pesquisa

Pesquisa Genial/Quaest também mostra que 56% dos eleitores dizem que economia influencia muito no voto

(Foto: Cristiano Mariz/Agência O Globo)

A pesquisa Genial/Quaest publicada nesta quarta-feira (8) mostra que, quando perguntados sobre de que têm mais medo nas eleições, 52% dos eleitores entrevistados disseram ser a continuidade do governo de Jair Bolsonaro (PL).

Em seguida, 35% afirmaram que têm mais medo da volta do Partido dos Trabalhadores (PT) ao poder, e 5% responderam ter medo dos dois: tanto de Bolsonaro mantido quanto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva eleito.

Dado curioso da pesquisa é que 5% dos participantes disseram que votariam em Bolsonaro, mas que têm medo que ele permaneça no poder. Outros 5% também declararam que desejam que Lula vença, mas que temem pela volta do PT à presidência.

Nas pesquisas de intenção de voto, Lula tem 47% das intenções de votos, 1 ponto percentual a mais do que em maio. O presidente Jair Bolsonaro vem em segundo lugar, com 28%. Ciro Gomes (PDT) tem 7%; André Janones (Avante), 2%; Simone Tebet (MDB), 1%; e Pablo Marçal (PROS), 1%.

Os demais candidatos (Vera Lúcia, Eymael, Sofia Manzano, Felipe d’Ávila, Luciano Bivar e general Santos Cruz) não pontuaram.

Percepção da economia

O principal problema econômico do país mudou nas respostas dos entrevistados. Em maio, a maioria (19%) apontava a crise econômica como a questão mais grave, seguida da inflação, com 18%. Em junho, houve inversão: a inflação, com 23%, assumiu a primeira colocação, com a crise econômica em segundo, com 12%.

Questionados sobre o quanto a situação econômica influencia na escolha do voto, 56% disseram que influencia muito, 10% afirmaram que influencia mais ou menos, 11% que influencia pouco e 20% que não influencia. Outros 4% não souberam ou não quiseram responder.

Metodologia

A pesquisa Genial/Quaest ouviu 2.000 pessoas com mais de 16 anos entre os dias 2 e 5 de junho em entrevistas nas casas dos eleitores em 27 estados. O nível de confiança é de 95%, com margem de erro máxima de 2%, para cima ou para baixo, em relação ao total da amostra.

(Por Erick Jimenes, repórter freelancer do JOTA)

Esta matéria foi produzida pelo JOTA, uma startup de jornalismo que tem a missão de trazer previsibilidade e transparência para as instituições brasileiras. O JOTA publica notícias e análises sobre política, o Judiciário, projetos de lei, direito tributário e regulações que afetam a economia e o mercado financeiro.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

1 min
Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

2 min
Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h08
Efeito bumerangue: entenda como quem tem menos grana vai pagar, no futuro, a conta da ‘PEC Eleitoral’

Aumento de gastos tende a pressionar a inflação e prejudicam, principalmente, as pessoas de menor poder aquisitivo

4 min
Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 11h39
Análise: PEC dos Combustíveis dificulta o trabalho do Banco Central para baixar a inflação

O assunto novo levantado pelo Copom em junho é o risco de as medidas colocarem o pé no acelerador da economia, num momento em que a política monetária pisa no freio

4 min
JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 11h35
Análise: De olho no voto útil, Lula retoma pontes com empresários e empodera “guru” econômico

Ex-presidente, antes refratário a assumir compromissos na campanha, antecipa série de conversas com o PIB, diz Fábio Zambeli, do JOTA

4 min