Três motivos para investir o dinheiro ‘esquecido’ no banco

Recurso inesperado pode ser usado para reforçar a carteira e até mesmo tomar riscos

taxa de juros
Foto: Leo Pinheiro/Agência O Globo

Depois de muita expectativa, o Banco Central retomou nesta segunda-feira (14), em endereço atualizado e com novas orientações, o sistema que permite a consulta a valores esquecidos em bancos e outras instituições financeiras. A estimativa é que sejam devolvidos R$ 3,9 bilhões para 24 milhões de pessoas físicas e jurídicas nesta etapa inicial.

O dinheiro extra pode ser um alívio para quem tem dívidas ou tem se apertado neste começo de ano para não deixar contas em atraso. Já para quem está com as finanças equilibradas, especialistas consultados pela Inteligência Financeira avaliam que a grana surpresa pode ser bem aproveitada por meio de investimentos.

O primeiro motivo citado é não desperdiçar a chance de reforçar a reserva de emergência. “Priorizar uma aplicação impede que o dinheiro seja usado por impulso com besteiras”, diz Bia Moraes, educadora financeira da Ativa Investimentos. “Dinheiro na conta vai embora de uma forma rápida. Então é importante poupar um recurso inesperado, como acontece às vezes no caso de receber uma herança”, acrescenta Victor Vietti, superintendente de recomendação de investimentos do Itaú. “Abrir mão de um consumo no presente vai refletir no futuro no planejamento financeiro”, comenta Bruna Allemann, educadora financeira da Acordo Certo.

Outro ponto destacado é evitar que, ao ficar mais tempo parada na conta, a quantia perca valor em razão dos efeitos da inflação. “O dinheiro que está esquecido no banco não vai render, não vai sentir os efeitos positivos dos juros compostos, que é o que acontece quando você busca uma aplicação”, alerta a especialista da Ativa. “Quanto mais você investir, mais você vai deixar os juros trabalhando a seu favor enquanto o recurso estiver aplicado”, reforça o executivo do Itaú. “Para quem ainda tem receio ou busca um momento mais adequado, pode ser uma oportunidade para começar a investir”, sugere a profissional da Acordo Certo.

A terceira razão é turbinar a carteira de investimentos. “Como é um recurso que não estava fazendo falta, é possível investi-lo com um nível de risco acima, o que aumenta o potencial de retorno”, aponta Moraes. “Ter essa disciplina nos investimentos é fundamental para aumentar a parcela de aplicações e valorizar ainda mais seu portfólio”, completa Vietti.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h23
Track&Field anuncia programa de recompra de ações; conheça a estratégia

Muitos motivos levam uma empresa a realizar uma OPA, e você pode ganhar dinheiro com isso

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h13
Dólar dispara e supera R$ 5,33 com temores de recessão global no radar

Mercado também repercute aprovação de PEC que libera gasto bilionário às vésperas das eleições

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 10h21
Criptomoedas iniciam julho no vermelho com bitcoin abaixo de US$ 20 mil

Bitcoin teve sua pior perda trimestral em mais de uma década

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 08h43
Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 08h34
Cenário de recessão pode piorar mercado acionário nos EUA, alerta pesquisador

Noriel Roubini considera como 'perigosamente ingênua' a visão de analistas que a recessão será leve e de curta duração