Petrobras reajusta gasolina em 4,85% e diesel em 8,08% nas refinarias

Consumidor vai sentir no bolso alta dos combustíveis já que a gasolina foi uma das grandes vilãs da inflação no ano passado; investidor da Petrobras viu ações fecharam em forte alta no pregão de terça-feira (11), após anúncio de revisão nos preços

Aumento do GNV
(Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Pontos-chave

  • A partir desta quarta-feira (12), o preço médio de venda da gasolina nas refinarias da companhia subirá de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro; no caso do diesel, passará de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro
  • A notícia implica em mais dores no bolso dos consumidores. A gasolina foi uma das grandes vilãs da inflação no ano passado
  • Com o anúncio, as ações da Petrobras fecharam em forte alta no pregão de terça-feira (11), com os papéis preferenciais (PETR4) subindo 2,96%, a R$ 28,84; e as ações ordinárias (PETR3) avançando 4,13%, cotadas em R$ 31,99

A partir desta quarta-feira (12), segundo a Petrobras, o preço médio de venda da gasolina nas refinarias da companhia subirá de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro. Considerando a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro no litro do derivado vendido nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,26, em média, para R$ 2,37 a cada litro vendido na bomba, ou seja, uma variação de R$ 0,11 por litro, ou de 4,86%.

No caso do diesel, o preço médio da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro. Considerada a mistura obrigatória de 10% de biodiesel no produto final, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 3,01, em média, para R$ 3,25 a cada litro vendido na bomba, o que representa uma alta de R$ 0,24 por litro, ou de 7,9%.

A Petrobras esclareceu que os reajustes são importantes para garantir que o mercado siga sendo suprido “em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras”.

A companhia também destacou que reforça o seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que a empresa evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais.

Com o anúncio, as ações da Petrobras fecharam em forte alta no pregão de terça-feira (11), com os papéis preferenciais (PETR4) subindo 2,96%, a R$ 28,84; e as ações ordinárias (PETR3) avançando 4,13%, cotadas em R$ 31,99.

Os investidores veem com bons olhos a política de preços da Petrobras, que busca acompanhar a alta da matéria-prima dos combustíveis no mercado internacional. O petróleo Brent para março, referência de preço para a companhia, avançou 3,52% nesta terça-feira (12).


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 20.maio.2022 às 08h18
Elon Musk se reúne nesta sexta-feira com Bolsonaro e empresários

Segundo ministro das Comunicações Fábio Faria, objetivo é discutir conectividade e proteção da Amazônia com o governo brasileiro

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 18h15
Trabalhador poderá usar até 50% do saldo do FGTS na privatização da Eletrobras

Valor mínimo do investimento é de R$ 200. Governo estabeleceu R$ 6 bilhões como teto global para uso do Fundo, o que pode reduzir percentual que cada trabalhador poderá investir

Manhã Inteligente Publicado em 19.maio.2022 às 10h26
Guerra na Ucrânia, queda das ações da Amazon, Madonna e NFTs

Isabella Carvalho e Ítalo Martinelli falam sobre os assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (19)

Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 09h06
IGP-M desacelera para 0,39% na segunda prévia de maio, aponta FGV

Houve recuos nos preços ao produtor, ao consumidor e nos custos da construção