Natura: XP projeta fraco primeiro trimestre, com Avon Internacional caindo 24% em vendas e Body Shop, 25%

Ação da Natura cai 15% com expectativa por balanço

(Foto: Divulgação)

Relatório da XP relacionado ao desempenho da Natura no primeiro trimestre projeta um fraco período, com “dinâmica desafiadora” para a operação da Avon na América Latina, e recuo de 14,5% nas vendas líquidas consolidadas em relação ao ano anterior — quando atingiu R$ 9,5 bilhões.

Para margem antes de lucro, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, da sigla em inglês), a projeção é atingir R$ 522 milhões (ajustado), com margem Ebitda ajustada de 6,5% e prejuízo líquido de R$ 222 milhões.

No primeiro trimestre de 2021, o prejuízo líquido foi de R$ 156 milhões e a margem Ebitda alcançou 8,8% um ano atrás.

Para Natura&Co, a estimativa é vendas líquidas de R$ 4,7 bilhões, queda de 10%, com operação no Brasil subindo 3,5%. Já Avon América Latina, a estimativa é recuo de 17%.

Para Body Shop, a projeção é retração de 25,5% nas vendas.

A equipe de análise projeta início de efeito de guerra no leste europeu, que afeta alguns mercados onde o grupo opera, além do cenário macroeconômico mais difícil no Brasil. E estabilização da operação da Avon, em fase final de troca de modelo comercial, no segundo trimestre de 2022.

Nos últimos dias, a área de relações com investidores da empresa esteve em contato com analistas, que posteriormente publicaram relatórios com projeções. Na véspera do feriado de Tiradentes, após esses contatos, a ação fechou em forte queda de 15,5% nesta quarta-feira (20).

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 10h10
Ibovespa tem tendência de queda com inflação e Petrobras se mantendo no radar

Investidores aguardam a divulgação da ata da última reunião do Fed

Entrevista da Semana Publicado em 25.maio.2022 às 10h08 Duração 6 min.
Como funciona a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE)?

Anne Dias, editora da IF, entrevista Alex Ibrahim, head de mercados internacionais da NYSE, onde trabalha há mais de 20 anos

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h34
Bolsas europeias e futuros de NY têm alta moderada, antes da ata do Fed

À espera do documento, no pré-mercado em NY, o futuro do S&P 500 tinha leve alta de 0,06% e do Nasdaq avançava 0,18%

Valor Econômico Publicado em 25.maio.2022 às 07h36
Após nova troca, ações da Petrobras caem

Investidor volta a analisar peso político, mas efeito na bolsa foi limitado por ativo ser considerado barato

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 19h58
‘Travamos o bom combate’, disse Coelho, por WhatsApp, em mensagem de despedida

Funcionários relatam clima de falta de rumo com demissão de José Mauro Coelho; indicado para o posto é Caio Paes de Andrade

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h18
ADRs da Petrobras recuam 3,8% em NY com troca no comando e data de corte de dividendos

Os recibos de ações (ADRs) referenciados nas ações ordinárias da Petrobras fecharam em queda de 3,80% na bolsa de Nova York

Glossário IF Publicado em 24.maio.2022 às 17h24
B3: como surgiu, qual é sua história, o que ela faz?

A Bolsa de Valores brasileira é uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Saiba mais no Glossário IF

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 14h35
SpaceX, de Elon Musk, vai lançar satélites brasileiros

A Aeronáutica informou que o país lançará até a próxima segunda-feira dois satélites-radar com a SpaceX, empresa do bilionário Elon Musk