IPCA-15 acima do esperado eleva pressão sobre Copom

BC se reúne na próxima semana para definir nova Selic

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central do Brasil (Foto: Raphael Ribeiro/BCB)

A alta acima do esperado do IPCA-15 em janeiro deixou o mercado financeiro ainda mais apreensivo com a primeira reunião do Copom (Comitê de Política Econômica do Banco Central) de 2022. Espera-se um novo aumento na taxa Selic, que deve encerrar o ano próximo a 12%.

“Inflação mais alta indica uma piora do balanço de riscos e, assim, vemos uma necessidade de, talvez, o BC ainda pensar como comunicar que o ciclo pode se estender mais ou que o ritmo de alta pode continuar”, afirma Marcos Ross Fernandes, professor de economia da FGV e economista-chefe do Haitong.

Apesar do mercado prever uma inflação acima da meta este ano e acima do centro da meta em 2023, o quanto ainda é tema de debate.

Segundo Ross Fernandes, tais questões adicionam complexidade na reunião do Copom na próxima semana.

“No meu entendimento, o passo atual, de 1,5 ponto, é agressivo para o nível atual de Selic. Aumentar o juro em 1,5 ponto é algo forte”, afirma o professor.

Ele prevê o IPCA em 5,3% ao fim de 2022, com viés altista. Também considera que possíveis reduções nos impostos podem impactar o aumento de preços.

“Por mais que, na matemática, a intervenção possa reduzir a inflação, existe um componente das expectativas, que podem se deteriorar ainda mais”, diz o economista.

(Com Valor PRO)


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 11h39
Análise: PEC dos Combustíveis dificulta o trabalho do Banco Central para baixar a inflação

O assunto novo levantado pelo Copom em junho é o risco de as medidas colocarem o pé no acelerador da economia, num momento em que a política monetária pisa no freio

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 08h39
Com PEC aprovada no Senado, pacote de medidas eleitoreiras de Bolsonaro já supera R$ 343 bilhões

Montante inclui ações que têm impacto nas contas do governo, como a ampliação do Auxílio Brasil, o vale para caminhoneiros e renúncias fiscais

Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 10h53
Inflação com consumo nos EUA sobe 0,6% em maio; ativos domésticos são pressionados pelo cenário mais adverso no exterior

O Ibovespa tem forte queda enquanto o dólar opera em alta ante o real no início desta quinta-feira