IF HOJE: IGP-M, inflação do aluguel, fica em 1,82% em janeiro

Com o resultado, o índice acumula alta de 16,91% em 12 meses. Em janeiro de 2021, o índice havia subido 2,58% e acumulava alta de 25,71% em 12 meses

Divulgação de dados econômicos devem impactar os mercados nesta sexta (Foto: Pixabay)

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) ficou em 1,82% em janeiro, após variar 0,87% no mês anterior, informou nesta sexta-feira (28) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com o resultado, o índice acumula alta de 16,91% em 12 meses. Em janeiro de 2021, o índice havia subido 2,58% e acumulava alta de 25,71% em 12 meses.

A “inflação do aluguel” fechou 2021 com alta de 17,78%. Apesar de desacelerar em 2021, o IGP-M registrou a segunda maior alta anual desde 2002, atrás somente do resultado de 2020.

O IGP-M é conhecido como ‘inflação do aluguel’ por servir de parâmetro para o reajuste de diversos contratos, como os de locação de imóveis. Além da variação dos preços ao consumidor, o índice também acompanha o custo de produtos primários, matérias-primas, preços no atacado e dos insumos da construção civil.

Ainda hoje: contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central

Mais tarde, será divulgado o resultado do governo central — que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central — em dezembro. Em novembro, se registrou superávit primário de R$ 3,872 bilhões, após um saldo negativo de R$ 18,257 bilhões em outubro.

“Espera-se uma melhora nas contas públicas. A arrecadação federal foi recorde em 2021 segundo a Receita Federal”, diz Gustavo Bertotti, economista da Messem Investimentos.

Por que importa?

Segundo analistas, o mercado vai prestar atenção nas falas das autoridades na divulgação e avaliação dos números do governo central, além de ficar de olho nas propostas dos candidatos à eleição presidencial “que está muito incerta na questão fiscal. A manutenção do teto fiscal é fundamental”, diz Bertotti.

O economista aponta que, agora, o pedido do reajuste de servidores deve ganhar força, o que, combinado com a alta da Selic e da inflação e perspectiva de crescimento fraco pode complicar as contas públicas.

Como afeta seus investimentos?

“O resultado fiscal de amanhã deve ser de um leve superávit primário, confirmando uma melhora fiscal em 2021. O mercado não deve refletir muito esse resultado, tendo em vista que há um consenso de que essa melhora foi conjuntural, especialmente sobre a arrecadação que foi beneficiada pela retomada da economia e da inflação, e não estrutural. A preocupação continua concentrada na despesa e em como o governo irá lidar com as demandas políticas deste ano. Outro temor é sobre o futuro presidente e de como ele irá gerir as restrições orçamentárias em meio ao enfraquecimento do teto de gastos”, explica João Leal, economista da Rio Bravo Investimentos.

Fique por dentro:

PEC dos combustíveis

Jair Bolsonaro (PL) desistiu da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) dos Combustíveis. Em reunião nessa quinta-feira (27), o presidente proibiu seus ministros de falaram em PEC ou a defenderem, após avaliar que a proposta poderia não causar o objetivo inicialmente esperado. O encontro, segundo relatos, foi “tenso”, e nele Bolsonaro proibiu que se fale em PEC para solucionar o problema da alta nos preços de combustíveis e da energia.

Cadê meu dinheiro?

Suspenso após gerar demanda acima do previsto, o Sistema Valores a Receber (SVR) do Banco Central será retomado apenas em 14 de fevereiro. As solicitações de pagamento, no entanto, só poderão ser feitas a partir de 7 de março, mediante agendamento. No momento da consulta, quem tiver dinheiro a ser devolvido por alguma instituição financeira será informado sobre a data em que poderá pedir a transferência para sua conta.

Covid-19

O Brasil registrou 662 mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 625.169 óbitos desde o início da pandemia. Foi a pior marca desde 11 de outubro do ano passado. A média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 417. O país também registrou 228.972 novos casos conhecidos de covid-19 em 24 horas, chegando ao total de 24.782.922 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi a 170.572 – a maior marca registrada até aqui e o décimo recorde seguido. O Ceará não divulgou novos dados de casos ou mortes nas últimas 24 horas.

Reajuste para professores

O Ministério da Educação (MEC) reajustou em 33,24% o piso salarial para o magistério da educação básica de R$ 2.886,24 para R$ 3.845,63 mensais, o que deve aumentar a pressão por aumentos nos Estados e prefeituras.

Lucro da Apple

A Apple registrou lucro líquido de US$ 34,63 bilhões no primeiro trimestre fiscal (encerrado em 25 de dezembro), montante 20,4% acima do visto no mesmo período de 2020. O lucro diluído por ação ficou em US$ 2,10 — alta de 25%, acima dos US$ 1,68 registrados um ano antes. Em comunicado enviado à imprensa, a Apple diz que a receita líquida foi a maior da história da companhia, somando a US$ 123,9 bilhões, avanço de 11,2% na comparação anual. O resultado foi puxado pela receita de produtos, em especial, pelas vendas também recordes do iPhone, que somaram US$ 71,63 bilhões, 9,2% acima do registrado no primeiro trimestre fiscal do ano anterior.

Para acompanhar hoje:

9h: Pnad Contínua em novembro

14h30: resultado primário do governo central em dezembro


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h28
Bilionários dão adeus a US$ 1,4 tri no 1º semestre; veja quem perdeu mais

A fortuna de Elon Musk caiu quase US$ 62 bilhões. Jeff Bezos viu sua riqueza diminuir em cerca de US$ 63 bilhões. O patrimônio líquido de Mark Zuckerberg foi reduzido em mais da metade

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h08
Efeito bumerangue: entenda como quem tem menos grana vai pagar, no futuro, a conta da ‘PEC Eleitoral’

Aumento de gastos tende a pressionar a inflação e prejudicam, principalmente, as pessoas de menor poder aquisitivo

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 18h17
União Europeia chega a acordo histórico para regular critpoativos. ‘É o fim do Velho Oeste digital’, diz parlamentar

NFT com preço fixo, como ingressos para eventos ou itens em games, não serão regulados. Provedores deverão divulgar impacto ambiental dos ativos digitais

Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 11h39
Análise: PEC dos Combustíveis dificulta o trabalho do Banco Central para baixar a inflação

O assunto novo levantado pelo Copom em junho é o risco de as medidas colocarem o pé no acelerador da economia, num momento em que a política monetária pisa no freio