IF HOJE: IPCA-15 sobe 1,17% em novembro

Com índice acima do esperado, o mercado pode precificar juros mais altos

O impacto no volume de vendas por causa da inflação identificado pelo IBGE também tem sido percebido no dia a dia de grandes redes varejistas de diferentes segmentos. (Foto: Pixabay)

O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) teve alta de 1,17% em novembro, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta quinta-feira (25). Esta é a maior variação para um mês de novembro desde 2002 (2,08%).

Agora, o IPCA-15 acumula alta de 9,57% neste ano e de 10,73% nos últimos 12 meses. O indicador ficou levemente acima da projeção de analistas consultados pelo Valor Data, que estimavam elevação de 1,12%.

Por que importa?

O índice traz a prévia da inflação oficial de novembro e é fundamental para a previsão da inflação e da Selic nos próximos meses.

O IPCA-15 e o IPCA de outubro foram tão surpreendentes que levaram bancos e corretoras a revisarem suas projeções para a inflação e para a Selic. O mesmo pode acontecer agora, com o fôlego dos preços no longo prazo.

Como afeta os investimentos?

Como o IPCA-15 veio um pouco acima do esperado, o mercado deve precificar juros mais altos, o que beneficia ativos de renda fixa pós-fixados e prejudica os de renda variável.

Fique por dentro

PEC dos Precatórios

O relatório de Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) sobre a PEC dos Precatórios foi apresentado na quarta-feira (24) na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado. A votação na comissão está marcada para a próxima terça-feira (30).

Ata do Fed

Membros do Fed (banco central dos Estados Unidos) estão preocupados com a inflação americana e podem querer encerrar os estímulos do banco à economia antes do que o previsto, mostra a ata da reunião de novembro da autoridade monetária, divulgada ontem.

Vários deles já declararam anteriormente que apoiariam uma aceleração desta redução de estímulos na próxima reunião do Fed, de 14 a 15 de dezembro.

Neste mês, o Fed aprovou a redução das suas compras mensais de ativos, encerrando o programa em junho de 2022, mas manteve a taxa de juros americana próximo de zero.

Piora no comércio

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a piora na economia este ano deve retirar R$ 44,7 bilhões em vendas do comércio varejista no último trimestre em comparação à projeção do CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) feita no início de 2021.

Ação de Graças

O mercado financeiro dos Estados Unidos permanece fechado nesta quinta (25) e sexta (26) devido ao feriado de Ação de Graças (Thanksgiving).


Você também pode gostar

Valor Econômico

Publicado em 07.dez.2021 às 08h09

Novo foco do Banco Central, expectativas para 2023 voltam a subir

Até a reunião de outubro, o BC vinha calibrando o ritmo de alta de juros para trazer a inflação para o centro da meta ainda em 2022

Júlia Moura

Atualizado em 07.dez.2021 às 08h59

IF HOJE: IGP-DI recua 0,58% em novembro

O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) caiu 0,58% em novembro, ante elevação de 1,60% no mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta terça-feira

Valor Econômico

Publicado em 03.dez.2021 às 15h32

Conta de luz pode subir 19% em 2022, segundo TR Soluções

O levantamento da empresa de tecnologia, especializada em tarifas de energia, vale para os consumidores de todo o país, de 53 concessionárias de distribuição

Valor Econômico

Publicado em 01.dez.2021 às 07h30

Nova cepa pode alongar período de inflação alta

Isso pode ocorrer se a retomada de restrições à mobilidade impedir os consumidores de mudar seus gastos de bens para serviços e houver um prolongamento nas rupturas das cadeias de suprimentos globais

Júlia Moura

Atualizado em 29.nov.2021 às 13h59

IF HOJE: IGP-M fica em 0,02% em novembro e desacelera para 17,89% em 12 meses

O IGP-M é o segundo índice inflacionário mais importante do país, depois do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), e é utilizado no reajuste de contratos de aluguel

Lucas Andrade

Publicado em 29.nov.2021 às 06h00

Há pistas no IPCA para quem quer amenizar os efeitos da inflação?

A IF avalia o cenário para cinco pontos sensíveis do orçamento doméstico