IF HOJE: Inflação medida pelo IGP-10 sobe 2,48% em abril, aponta FGV

O mercado esperava uma alta de 1,3% no mês, após o índice subir 1,18% em março

Inflação, preços altos, desvalorização do dinheiro
A forte inflação segue preocupando os brasileiros (Foto: Getty Images)

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu 2,48% em abril, informou nesta segunda-feira (18) o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre). No mês anterior, o índice havia registrado alta de 1,18%. Com esse resultado, a inflação medida pelo IGP-10 acumula alta de 7,63% no ano e de 15,65% em 12 meses. Em abril de 2021, o índice subira 1,58% no mês e acumulava elevação de 31,74% em 12 meses.

Com peso de 60%, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-10) subiu 2,81% em abril. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 1,44%. Com peso de 30%, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10) subiu 1,67% em abril. Em março, o índice havia apresentado taxa de 0,47%. Com os 10% restantes, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-10) subiu 1,17% em abril. No mês anterior a taxa foi de 0,34%.

Por que importa?

O índice mede grande parte da alta das commodities e pode sinalizar quais aumentos de preços tendem a ser repassados para o consumidor. Além disso, é um dos primeiros indicadores mensais sobre a alta dos preços no Brasil.

Como impacta seus investimentos?

Os especialistas das instituições financeiras esperavam uma alta de 1,3% no mês. Com a taxa acima das expectativas, o mercado deve precificar juros maiores para conter a inflação, o que beneficia produtos de renda fixa pós-fixados.

Fique por dentro:

Petrobras: Dívida menor abre espaço para maiores investimentos, diz novo presidente

O novo presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, afirmou na quinta-feira (14) que a redução da dívida da companhia abre espaço para que a empresa faça investimentos maiores. Em discurso de posse, na sede da empresa, Coelho ressaltou que, em 2014, a dívida bruta da empresa estava na casa de US$ 160 bilhões e, hoje, esse endividamento é de menos de US$ 60 bilhões.

Governo estima salário mínimo sem ganho real

O governo federal prevê um salário mínimo de R$ 1.294 no próximo ano, um valor 6,7% maior que o atual, de acordo com o PLDO (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2023, enviado na quinta ao Congresso. Caso a estimativa se confirme, 2023 será o quarto ano seguido sem aumento real, ou seja, sem ganho acima da inflação. O aumento cobriria apenas o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) projetado para este ano.

Para acompanhar hoje:

  • 08h: IGP-10 de abril
  • 15h30: Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, participa de reuniões do FMI e pode falar sobre juros
  • 17h: discurso de Bullard, membro do Fomc

(Com Valor Econômico)


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 09h06
IGP-M desacelera para 0,39% na segunda prévia de maio, aponta FGV

Houve recuos nos preços ao produtor, ao consumidor e nos custos da construção

Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 07h26
Freio na economia chinesa deve fazer Brasil crescer menos

Analistas projetam expansão menor em 2023 e inflação global maior, também devido à guerra na Ucrânia e à alta de juros nos EUA

Redação IF Publicado em 16.maio.2022 às 12h23
Sondagem da XP vê inflação no fim de 2022 maior do que projeção do último Focus

Divulgação do relatório do Banco Central está paralisada por causa da greve dos servidores