IF HOJE: IBC-Br cai 0,4%; EUA mantêm juros e aceleram retirada de estímulos

A aprovação da PEC dos precatórios em primeiro turno na Câmara também é um dos temas quentes

Indústria em SP (Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo)

A quarta-feira (15) é agitada para os investidores. Dentre os diversos eventos do dia, a divulgação do IBC-Br (índice de atividade do Banco Central) de outubro é um dos mais aguardados. O índice dá uma ideia de como está a economia no último trimestre do ano e quais as perspectivas para 2022.

O IBC-Br apontou uma retração da economia de 0,4% entre setembro e outubro, segundo o BC. A mediana das estimativas de mercado era de uma queda de 0,2% da atividade. Na comparação anual, a baixa registrada foi de 1,48%, mais do que o dobro da projeção de 0,7% dos especialistas.

Nesta tarde, o Fed (banco central americano) anunciou a manutenção da taxa básica de juros dos Estados Unidos entre 0 e 0,25%. Mais importante, no entanto, é o anúncio de que vai acelerar a retirada dos estímulos (tapering) dados para tirar o país da crise provocada pela pandemia. Agora, o Fed vai reduzir em US$ 20 bilhões as compras mensais de títulos públicos e em US$ 5 bilhões as de títulos hipotecários, o dobro do montante que vinha sendo retirado.

Por que importa?

O IBC-Br sinaliza como está a saúde da economia brasileira. Nos EUA, o Fed determina se sobe a taxa básica de juros americana e se diminui ainda mais rápido a compra de ativos, processo conhecido como.

Como afeta seus investimentos?

Se os índices brasileiros vierem piores do que o esperado, os ativos brasileiros podem se desvalorizar. O mesmo pode acontecer se o Fed apresentar uma postura mais dura contra a inflação americana, cortando estímulos.

Fique por dentro:

PEC dos precatórios

A Câmara dos Deputados aprovou o restante da PEC dos Precatórios na noite de terça (14). O projeto dá margem para o governo gastar mais R$ 106,1 bilhões em 2022. A maior parte dos recursos será destinada ao Auxílio Brasil.

A PEC ainda precisa ser votada em segundo turno na Câmara, antes de ser promulgada pelo governo. O texto já tinha passado na Câmara em novembro, mas voltou à análise dos deputados por causa das mudanças feitas pelo Senado na proposta original.Gasolina mais barata

A partir desta quarta, a gasolina vendida nas refinarias da Petrobras está 3,1% mais barata, uma queda de R$ 0,10 por litro. O corte é fruto da recente desvalorização do produto no mercado internacional. O óleo diesel, porém, não teve redução.

Agora, o preço médio da gasolina nas refinarias da companhia é de R$ 3,09 por litro. Neste ano, o combustível subiu 68% nas refinarias e 36% nas bombas.

PEC dos Precatórios

Para acompanhar hoje:

4h: CPI (índice de preços ao consumidor, na sigla em inglês) e PPI (índice de preços ao produtor, na sigla em inglês) do Reino Unido em novembro

4h45: CPI da França em novembro

8h: IGP-10 do Brasil em dezembro

9h: IBC-Br brasileiro em outubro

10h30: vendas no varejo americano em novembro

12h: estoques das empresas e do varejo americano em outubro

16h: decisão de política monetária do Fed

16h30: entrevista coletiva com Jerome Powell, presidente do Fed

20h50: balança comercial do Japão em novembro

21h30: PMI industrial do Japão em dezembro


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 10h11
O que Elon Musk deve discutir na passagem pelo Brasil

Bilionário terá encontro com o presidente Jair Bolsonaro e empresários

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 18h15
Trabalhador poderá usar até 50% do saldo do FGTS na privatização da Eletrobras

Valor mínimo do investimento é de R$ 200. Governo estabeleceu R$ 6 bilhões como teto global para uso do Fundo, o que pode reduzir percentual que cada trabalhador poderá investir

Manhã Inteligente Publicado em 19.maio.2022 às 10h26
Guerra na Ucrânia, queda das ações da Amazon, Madonna e NFTs

Isabella Carvalho e Ítalo Martinelli falam sobre os assuntos que podem afetar seus investimentos nesta quinta (19)

Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 09h06
IGP-M desacelera para 0,39% na segunda prévia de maio, aponta FGV

Houve recuos nos preços ao produtor, ao consumidor e nos custos da construção