FMI: aperto monetário impede crescimento maior da economia brasileira em 2022

Fundo subiu de 0,3% para 0,8% a previsão de expansão do PIB do país no ano

taxa de juros
Foto: Leo Pinheiro/Agência O Globo

O Fundo Monetário Internacional (FMI) explicou nesta terça-feira (19) que a revisão da previsão de crescimento para a economia brasileira, que passou de 0,3% para 0,8% em 2022, se deve aos preços mais altos das commodities, uma das consequências causadas pela guerra da Rússia contra a Ucrânia.

Por outro lado, embora o Brasil esteja se beneficiando com as cotações mais elevadas da energia e dos produtos agrícolas, o Fundo destaca que o ciclo de aperto monetário adotado pelo Banco Central para conter a inflação impede que o crescimento do país seja ainda maior.

“Isso [a revisão] se deve muito ao apoio que a economia está recebendo dos termos de troca positivos e do choque dos preços mais altos das commodities”, afirmou a diretora-adjunta do Departamento de Pesquisa do FMI, Petya Koeva Books, em entrevista coletiva. “As ligações diretas [do Brasil] com a Ucrânia e a Rússia, em termos de impacto da guerra, são bastante limitadas.”

Apesar da revisão para cima, o economista-chefe do FMI, Pierre-Olivier Gourinchas, destacou que o Brasil deve ter um dos menores crescimentos da região. Em conjunto, a América Latina e o Caribe, por exemplo, devem crescer 2,5% neste ano, segundo as estimativas da entidade. Para o México, a previsão é de expansão de 2%.

Questionados sobre o impacto da disputa presidencial sobre a economia, os representantes do FMI afirmaram que não comentam acontecimentos políticos, mas ressaltaram que, no geral, incertezas relativas às eleições não são um fator positivo para o crescimento.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global

3 min
Redação IF Publicado em 19.maio.2022 às 09h06
IGP-M desacelera para 0,39% na segunda prévia de maio, aponta FGV

Houve recuos nos preços ao produtor, ao consumidor e nos custos da construção

1 min
Redação IF Publicado em 18.maio.2022 às 09h50
Petróleo sobe com redução dos bloqueios na China

Nesta manhã, o petróleo Brent e o West Texas Intermediate (WTI) sobem perto de 1%

1 min
Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 17h32
Dólar fecha em queda de 2,14%, a R$ 4,9419, com exterior positivo

A redução das medidas de restrição na China favoreceu a das commodities e beneficiou moedas de países exportadores

1 min