EUA: Pedidos de seguro-desemprego somam 229 mil na semana passada; consenso era de 215 mil

Números permaneceram perto de uma máxima de cinco meses, um sinal de que as demissões aumentaram nos EUA

Foto: Pixabay

Os pedidos iniciais de seguro-desemprego dos Estados Unidos caíram em 3 mil na semana passada e chegaram ao número total de 229 mil. Apesar da diminuição, os números permaneceram perto de uma máxima de cinco meses, um sinal de que as demissões aumentaram ligeiramente em relação aos níveis recordes.

Economistas consultados pelo “The Wall Street Journal” haviam previsto que as solicitações de seguro-desemprego somariam 215 mil até o dia 11 de junho.

Os números totais do indicador mostraram que as aplicações cresceram em um número ainda maior do que o previsto. Na semana passada, novos pedidos aumentaram no maior nível desde janeiro, mas as razões parecem estar relacionadas com o feriado Memorial Day, que foi comemorado no final do mês de maio. Ainda não é possível dizer se os últimos dados publicados foram impactados pelo feriado.

Já na média de quatro semanas, os novos pedidos de seguro-desemprego subiram de 215.750 para 218.500, registrando o nível mais alto desde janeiro.

No panorama geral, os Estados Unidos têm muitas vagas de emprego e poucas demissões, mas há a perspectiva de uma desaceleração na economia, que pode prejudicar o mercado de trabalho ainda neste ano.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h28
Bilionários dão adeus a US$ 1,4 tri no 1º semestre; veja quem perdeu mais

A fortuna de Elon Musk caiu quase US$ 62 bilhões. Jeff Bezos viu sua riqueza diminuir em cerca de US$ 63 bilhões. O patrimônio líquido de Mark Zuckerberg foi reduzido em mais da metade

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h08
Efeito bumerangue: entenda como quem tem menos grana vai pagar, no futuro, a conta da ‘PEC Eleitoral’

Aumento de gastos tende a pressionar a inflação e prejudicam, principalmente, as pessoas de menor poder aquisitivo