Emissões do Tesouro Direto registram em outubro maior valor da série histórica

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os títulos indexados à inflação

(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

As emissões líquidas do Tesouro Direto somaram R$ 1,92 bilhão em outubro, atingindo o maior valor da série histórica. Esse é o sétimo mês seguindo de emissões líquidas.

No antepenúltimo mês de 2021, as vendas do Tesouro Direto somaram R$ 3,506 bilhões e os resgastes foram de R$ 1,59 bilhão, sendo a totalidade em recompras (resgates antecipados). Dessa forma, houve emissão líquida de R$ 1,92 bilhão.

Segundo boletim divulgado nesta terça-feira pelo Tesouro Nacional, o estoque do programa fechou em R$ 74,52 bilhões em outubro, um crescimento de 3,83% em relação ao mês anterior (R$ 71,77 bilhões).

As aplicações de até R$ 1 mil representaram 62,25% das operações de investimento no mês. O valor médio por operação foi o de R$ 6.702,60.

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) que totalizaram R$ 1,64 bilhão, representando 46,70% das vendas.

Os títulos indexados à taxa Selic (Tesouro Selic) somaram, em vendas, R$ 1,33 bilhão, e corresponderam a 37,82% do total, enquanto os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) totalizaram R$ 542,89 milhões em vendas, ou 15,48% do total.

Nas recompras (resgates antecipados), predominaram os títulos indexados à taxa Selic, que somaram R$ 825,14 milhões (51,90%). Os títulos remunerados por índices de preços (Tesouro IPCA+, Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais e Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais) totalizaram R$ 459,82 milhões (28,92%), os prefixados, R$ 305,04 milhões (19,18%).

Quanto ao prazo, a maior parcela de vendas se concentrou nos títulos com vencimento entre 1 e 5 anos, que alcançaram 61,34% do total. As aplicações em títulos com vencimento entre 5 e 10 anos representaram 25,38%, enquanto os títulos com vencimento acima de 10 anos corresponderam a 13,28% do total.

Segundo boletim do Tesouro Nacional, em outubro, o total de investidores ativos no Tesouro Direto atingiu a marca de 1.707.290 pessoas. No mês passado, 39.145 investidores tornaram-se ativos, um crescimento de 2,35% em relação ao mês anterior. O crescimento no número de investidores cadastrados no programa atingiu o valor de 1.065.648, ou 8,13% a mais na comparação com setembro, atingindo a marca de 14.166.122 pessoas.


Você também pode gostar

Leonardo Guimarães

Atualizado em 07.dez.2021 às 19h52

O que não fazer com seus investimentos em 2022

Elaboramos dicas essenciais para 2022, que será um ano desafiador e vai exigir preparo dos investidores

Redação IF

Atualizado em 07.dez.2021 às 12h04

Poupança deve voltar a ter rendimento pela regra antiga após reunião do Copom; entenda como funciona e onde investir

Com uma Selic acima de 8,5% ao ano, poupança passará a ter retorno fixo de 0,5% ao mês + TR, ou 6,17% ao ano. Mesmo rendendo mais, aplicação segue perdendo para a inflação

Redação IF

Publicado em 06.dez.2021 às 16h17

Saques na poupança superam depósitos em R$ 12,3 bilhões em novembro

Foi o quarto mês seguido com saída líquida de recursos da modalidade de investimento

Valor Econômico

Atualizado em 06.dez.2021 às 08h07

Poupador não se anima com Tesouro Prefixado

Segundo o Tesouro Nacional, esses foram os papéis que menos venderam nos últimos meses

Isabella Carvalho

Publicado em 03.dez.2021 às 17h13

Cinco dicas para escolher um fundo de investimento

Só durante a pandemia foram lançados 3.201 fundos. Com tantas opções no mercado, você deve analisar alguns pontos para fazer a melhor seleção

Anne Dias

Atualizado em 03.dez.2021 às 18h39

“Meu erro é não parar para estudar mais sobre o que fazer com o dinheiro”

O filósofo Magnus Cesar Bouchardet tem uma paixão: a bicicleta. E um problema: a má organização das finanças

Leonardo Guimarães

Atualizado em 06.dez.2021 às 10h24

Queda de 0,1% do PIB pode mudar a trajetória da Selic e, radicalmente, a dos seus investimentos

Desaceleração do PIB no terceiro trimestre pode parecer pequena, mas o fraco desempenho da economia afeta o seu bolso

Valor Econômico

Atualizado em 03.dez.2021 às 07h41

Com loja parada, ação de grandes redes cai

Expectativas começam a ser reduzidas e investidor vem “precificando” um mês de dezembro difícil