Economia com gasolina e serviços de entrega favorecem mercado de motocicletas

Produção encerra 2021 com alta de 24,2% e deve crescer 7,9% em 2022, estima Abraciclo

Foto: José Paulo Lacerda/CNI

A produção de motocicletas deve atingir 1,29 milhão de unidades neste ano, volume 7,9% maior do que a produção de 2021 no Polo Industrial de Manaus (1.195.149 unidades). As vendas devem chegar a 1,23 milhão de motocicletas, com alta de 6,4% em relação a 2021, quando o total negociado ficou em 1.156.074 unidades. As projeções foram apresentadas nesta quinta-feira (20) pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Segundo o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, as estimativas de crescimento confirmam o cenário de recuperação gradativa da indústria de motocicletas, que vem retomando os volumes anteriores à pandemia. “Esperamos um cenário mais estável neste ano para atingirmos novamente os patamares de 2015, quando a produção ficou em 1,2 milhão de unidades.”

Entre os fatores determinantes para a continuidade do crescimento estão o avanço dos serviços de entrega de produtos e o maior uso da motocicleta nos deslocamentos urbanos, em razão do aumento dos preços dos combustíveis e da disponibilidade de crédito.

Para a Abraciclo, existem, porém, variáveis que podem influenciar esse desempenho, como o aumento dos casos da variante Ômicron e da gripe H3N2, que podem afastar os trabalhadores de seus postos e assim impactar a produção.

Além disso, a Abraciclo teme que instabilidades do cenário macroeconômico influenciem o setor, desde o abastecimento e reorganização das cadeias produtivas até a alta nas taxas de juros e do frete. “Também acompanhamos outros movimentos do cenário político e econômico que podem afetar o poder de compra do consumidor e impactar negativamente a demanda por motocicletas”, disse Fermanian.

Desempenho em 2021

De acordo a Abraciclo, a indústria de motocicletas fechou 2021 com produção de 1,19 milhão de unidades, alta 24,2% na comparação com o ano anterior, quando foram fabricadas 961.986 unidades. O volume ficou 2% abaixo da expectativa da associação, que previa fabricar 1,22 milhão de motocicletas.

Marcos Fermanian disse que havia possibilidade de atingir a meta, mas lembrou que o setor enfrentou a segunda onda de covid-29 em Manaus, no início de 2021, quando deixaram de ser produzidas cerca de 100 mil motocicletas, e as restrições implantadas nas linhas de produção para evitar a disseminação da doença. “O maior distanciamento entre as pessoas nos postos de trabalho, por exemplo, aumenta o tempo de fabricação”, afirmou. “E é importante ressaltar que todas as medidas estão mantidas, pois a prioridade é a saúde e segurança do colaborador.”

As vendas totalizaram 1.156.074 unidades, alta de 26,3% na comparação com 2020 (915.157 motocicletas). O número foi reflexo das dificuldades para atingir a demanda devido às limitações nas linhas de produção. Segundo Fermanian, existe atualmente fila de espera de 30 dias para modelos de baixa cilindrada e scooters. “A tendência para os próximos meses é de normalização. Todas as associadas estão se esforçando para atender ao consumidor que espera, quer e precisa de uma motocicleta nova”, enfatizou o presidente da Abraciclo.

Com informações da Agência Brasil


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 07.jun.2022 às 12h17
Anfavea: 150 mil veículos deixaram de ser produzidos no ano por falta de semicondutores

Balanço divulgado pela associação indica que houve 16 paralisações de fábricas de janeiro a maio de 2022

Valor Econômico Publicado em 09.maio.2022 às 07h29
Com inflação e juros em alta, produção de eletrodomésticos cai 25% no 1º tri

Mercado apresenta demanda fraca e produtos mais caros com repasse de custos

Valor Econômico Atualizado em 08.jun.2022 às 08h28
Nova onda de reajustes de preços avança na indústria e no varejo

Pressões estão em linha branca, alimentos e bebidas, e afetam o comércio eletrônico

Redação IF Publicado em 27.abr.2022 às 08h27
Após oito meses em queda, confiança da indústria volta a subir em abril

Índice que mede o humor dos empresários do setor avançou 2,4 pontos no mês

Valor Econômico Publicado em 18.abr.2022 às 07h50
Carro, um sonho de consumo cada vez mais distante

Brasileiro faz 'malabarismos' para financiar a compra de um modelo novo ou usado

Redação IF Publicado em 13.abr.2022 às 10h45
CNI vê recuo da indústria em 2022; entenda os motivos da projeção pessimista

A entidade ainda estima que o PIB geral deve crescer menos que o previsto anteriormente