Dólar sobe mais de 2% e encosta em R$ 5

O real foi a moeda que mais se desvalorizou entre as divisas dos emergentes hoje

cropped-Dolar-americano-scaled-1.jpg

O dólar dá prosseguimento à reprecificação do processo de aperto monetário nos Estados Unidos e, assim, voltou a exibir alta firme contra o real nesta terça-feira. O movimento se mostra mais intenso do que em outros mercados emergentes.

A moeda americana terminou o dia em alta de 2,35%, vendida a R$ 4,9901.

Os sinais de que o fluxo de capital estrangeiro para o mercado brasileiro não está seguindo o ritmo visto nos três primeiros meses do ano levam o câmbio a passar por um momento de correção.

“Essa depreciação do real é algo que vem, normalmente, quando o posicionamento técnico já está muito esticado. Quando os nossos modelos começam a apontar que o ativo já teve um rali muito longo e que há alta demanda por risco, a compensação para ter essa posição começa a cair”, afirma Michelle Hwang, estrategista de câmbio e juros do BNP Paribas. Na expectativa do banco francês, a situação do real não deve ser tão positiva quanto antes na medida em que se aproximam as eleições. Assim, o banco mantém a expectativa de dólar a R$ 5 no fim do ano.

No Boletim Focus divulgado pela manhã, a projeção mediana do mercado para o câmbio aponta para o dólar a R$ 5,00 no fim deste ano e também em dezembro de 2023. Apesar disso, as expectativas de inflação continuaram a piorar e, agora, o Focus mostra que o consenso do mercado projeta o IPCA em 7,65% neste ano e em 4,00% em 2023, o que mostra uma distância ainda maior do centro da meta e impõe desafios adicionais à condução da política monetária pelo Banco Central.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h34
Bolsas europeias e futuros de NY têm alta moderada, antes da ata do Fed

À espera do documento, no pré-mercado em NY, o futuro do S&P 500 tinha leve alta de 0,06% e do Nasdaq avançava 0,18%

3 min
Valor Econômico Publicado em 25.maio.2022 às 07h36
Após nova troca, ações da Petrobras caem

Investidor volta a analisar peso político, mas efeito na bolsa foi limitado por ativo ser considerado barato

5 min
Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 19h58
‘Travamos o bom combate’, disse Coelho, por WhatsApp, em mensagem de despedida

Funcionários relatam clima de falta de rumo com demissão de José Mauro Coelho; indicado para o posto é Caio Paes de Andrade

3 min
Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h18
ADRs da Petrobras recuam 3,8% em NY com troca no comando e data de corte de dividendos

Os recibos de ações (ADRs) referenciados nas ações ordinárias da Petrobras fecharam em queda de 3,80% na bolsa de Nova York

1 min
Glossário IF Publicado em 24.maio.2022 às 17h24
B3: como surgiu, qual é sua história, o que ela faz?

A Bolsa de Valores brasileira é uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Saiba mais no Glossário IF

Redação IF Atualizado em 25.maio.2022 às 08h00
Nubank renova mínimas históricas e já vale menos que o BTG. Efeito colateral do fim do lock-up?

Valor de mercado do Nubank corresponde a menos de um terço do Itaú, que vale US$ 48,8 bilhões; no IPO em dezembro, o Nubank estreou com valor de US$ 41,5 bilhões

2 min