Criptomoedas mantêm ganhos com investidor de olho na regulação

A regulação nos EUA e no Brasil seguem como um dos principais 'drivers' para as criptomoedas nos próximos dias

As principais criptomoedas seguem negociadas em alta nesta quarta-feira com os investidores de olho na regulação do setor. A resiliência dos criptoativos ocorre mesmo com o dia negativo para os mercados de ações na Europa e nos Estados Unidos.

Maior das criptomoedas, o bitcoin era negociado a US$ 30.468,70, com valorização de 3,2% nas últimas 24 horas, perto das 9h25 (horário de Brasília), segundo o CoinGecko. A moeda digital chegou a testar o patamar de US$ 31,5 mil nas negociações na Ásia, mas não teve força para manter os ganhos e voltou para a casa de US$ 30 mil, em que tem oscilado desde meados do mês passado.

O ether, moeda digital da rede ethereum, tinha alta de 3,1%, cotado a US$ 1.810,79. Em reais, por outro lado, o bitcoin recuava 1,42%, para R$ 148.536 e o ether tinha baixa de 1,01% a R$ 8.869,60, conforme valores fornecidos pelo Mercado Bitcoin.

Segundo Luiz Pedro Andrade, analista de criptoativos da Suno Research, a regulação nos EUA segue como um dos principais drivers para as criptomoedas nos próximos dias. Ele destaca que o foco da regulação mira, além das exchanges, as stablecoins e as finanças descentralizadas.

Na avaliação de Andrade, o atual inverno cripto pode ser mais alongado do que os anteriores por conta da situação macroeconômica e do risco de recessão nos EUA.

“A gente vem de um bull market alongado de quase dois anos, se você tirar o coronacrash. Tem muita gente com muito dinheiro e com dinheiro para realizar”, disse.

Humberto Andrade, especialista em trading do Mercado Bitcoin, alerta que é preciso ter cautela e observar que os investidores de longo prazo continuam se desfazendo das suas posições à vista. “Isso pode representar ainda mais queda nos meses que estão chegando, em decorrência de possíveis questões macroeconômicas”, disse.

Nos EUA, as senadoras Cynthia Lummis (republicana) e Kirsten Gillibrand (democrata) apresentaram na terça-feira um projeto de lei considerado favorável para o setor e que deverá ser um ponto de partida para as negociações com criptoativos. Entre as propostas, estão estebelecer um requisito para que os emissores de stablecoins mantenham 100% de reservas e divulguem publicamente os ativos que respaldam seu token.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 18h17
União Europeia chega a acordo histórico para regular critpoativos. ‘É o fim do Velho Oeste digital’, diz parlamentar

NFT com preço fixo, como ingressos para eventos ou itens em games, não serão regulados. Provedores deverão divulgar impacto ambiental dos ativos digitais

José Eduardo Costa Atualizado em 30.jun.2022 às 18h59
Bitcoin registra sua pior perda trimestral em mais de uma década

No final da tarde desta quinta-feira o bitcoin registrava baixa de 58% de seu valor no segundo trimestre de 2022, a pior queda trimestral em mais de uma década

Redação IF Atualizado em 30.jun.2022 às 07h27
Bitcoin segue acima de US$ 20 mil com atenção a liquidação de fundo e ataques a Tether

O valor de mercado somado de todas as criptomoedas ficava em US$ 935 bilhões

Leonardo Guimarães Publicado em 28.jun.2022 às 07h15
Já é possível investir em jogadores via tokens lastreados

Você pode ganhar dinheiro nas negociações com o meia Phillippe Coutinho; mas há riscos. Conheça o novo ativo digital

Redação IF Atualizado em 27.jun.2022 às 10h27
Criptomoedas retomam patamar de US$ 1 trilhão com ganhos do ether e bitcoin

Aversão ao risco devido ao temor de inflação global e juros em alta arrefeceu um pouco