Ação do Nubank cai quase 9%, mesmo após BTG ter elevado recomendação para ‘neutra’

Nubank agora tem um valor de mercado de US$ 19,9 bilhões, abaixo de Itaú, Bradesco, Santander e Banco do Brasil

— Foto: Divulgação

As ações do Nubank operam em queda forte nesta sexta-feira, em um dia de voltalidade nas bolsas americanas. Nesta semana, os balanços de algumas das maiores companhias do setor de varejo dos Estados Unidos reforçaram os temores de que a maior taxa de inflação em quatro décadas esteja alcançando os consumidores e encaminhando a economia a uma recessão.

Por volta das 13h, os papéis do Nubank recuavam 8,43%, a US$ 3,96. Na semana, eles perdem 17,64%. Ainda assim, estão acima da mínima histórica de fechamento, de US$ 3,69, registrada no dia 11.

A queda do Nubank ocorre mesmo após o BTG ter elevado sua recomendação para o papel de “venda” para “neutra”, mas reduziu o preço-alvo de US$ 6 para US$ 4. Os analistas, liderados por Eduardo Rosman, dizem que os números do primeiro trimestre foram positivos e que, após as quedas recentes, o papel não é mais uma venda “no-brainer”, ou seja, que não precisa nem pensar muito para chegar à conclusão de vender.

Eles ressaltaram que acreditam que o Nubank está muito bem posicionado para possivelmente se tornar a fintech líder da América Latina nos próximos cinco a dez anos. Mas que seu preço parecia muito “errado”, particularmente em um ambiente com sinais crescentes de deterioração da qualidade de ativos. E, como eles acreditam que o Nubank se parece muito mais com um banco do que com uma empresa de software, haviam rebaixado a recomendação para “venda” em 10 de fevereiro.

Desde então, porém, o papel caiu 58% e o Nubank agora tem um valor de mercado de US$ 19,9 bilhões, abaixo de Itaú, Bradesco, Santander e Banco do Brasil. “Eles criaram uma marca incrível, enquanto o custo de aquisição de clientes e o custo de servir estraturalmente mais baixos são uma vantagem competitiva fundamental. Como resultado, o Nubank ainda pode ser rentável apesar de um tíquete muito baixo. Ele também tem uma inadimplência melhor do que seus pares, sugerindo que consegue selecionar os melhores clientes”, diz o BTG.

Os analistas apontam que a receita por cliente é muito menor do que nos bancos tradicionais e deve recuperar o atraso à medida que sua base de clientes amadurece e que o Nubank adiciona novos produtos e geografias. “Sua enorme base de clientes, crescimento da receita e uma melhor eficiência pode fazer com que o ROE suba. Mas os próximos 12 meses podem ser desafiadores”, diz o relatório.

Eles admitem que muitos investidores locais e especialistas do setor acreditam que o Nubank está assumindo riscos demais ao crescer em ritmo tão rápido no crédito ao consumidor (não garantido), principalmente no segmento de baixa renda.

E que muitos acreditam que a inadimplência pode disparar. Entretanto, o BTG diz que, diferentemente de outros bancos que aumentaram sua base de clientes e testaram o crédito ao longo do tempo, o Nubank conseguiu uma base enorme praticamente apenas oferecendo cartões de crédito.

“Então, por ter uma piscina muito grande para pescar, com bons dados, e ser capaz de operar com empréstimos de pequenos tíquetes para vários clientes, o Nubank pode de fato ser algo que nunca vimos antes”.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 18h11
NY: Bolsas fecham em alta e quebram sequencia de três semanas de perdas; Nasdaq acumula alta de 7,5%

Ainda que o medo por uma recessão continue presente, o temor vem sendo calibrado, com analistas enxergando exagero nas projeções

4 min
Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 16h21
Americanos buscam ações defensivas com medo da recessão

Investidores monitoram o Fed, que quer derrotar a inflação a qualquer custo

3 min
Redação IF Publicado em 24.jun.2022 às 12h57
Dólar apresenta volatilidade e bate R$ 5,27 na máxima

Moeda americana opera sem uma tendência definida

2 min
Redação IF Atualizado em 23.jun.2022 às 16h27
Carteira recomendada Itaú: sai Banco do Brasil entra Bradesco

Banco faz parte das recomendações de duas carteiras: Top 5 e a de Dividendos

3 min
Redação IF Publicado em 23.jun.2022 às 15h19
Seca de IPOs brasileiros traz 1º semestre mais fraco desde 2016

Nenhuma empresa brasileira abriu capital neste ano até dia 20 de junho, contra 29 transações que levantaram US$ 6,9 bilhões no mesmo período no ano passado

2 min
Redação IF Atualizado em 23.jun.2022 às 19h23
‘Timing’ para estreia na Nasdaq foi excelente, diz CEO do Inter; ações fecham em forte queda em NY

O primeiro dia foi negativo para os ativos, fechando com uma forte baixa de 12,56%, a US$ 3,48

8 min