Dólar fecha em R$ 5,71, após divulgação de ata do Fed

Nesta quarta-feira (5), a moeda norte-americana avançou 0,47%, a R$ 5,7161; maior valor desde 21 de dezembro de 2021

Dólar termina a quinta-feira em queda (Foto: Pixabay)

O dólar fechou em alta de 0,47%, a R$ 5,7161, maior cotação do dia, nesta quarta-feira (5), em reação à divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). É o maior valor desde 21 de dezembro de 2021, quando a cotação encerrou em R$ 5,7394.

Os investidores acompanham preocupados a cena externa. Nos Estados Unidos, foram registrados mais de 1 milhão de infectados em apenas 24 horas pela 1ª vez desde o início da pandemia. No mundo, o número salta para um recorde de 2,4 milhões de novos casos em 1 dia.

Os mercados analisaram também a ata da última reunião do Federal Reserve, que sinalizou redução maior de liquidez em breve. No documento, as autoridades disseram que o mercado de trabalho estava “muito apertado” e que pode ser preciso que o banco central dos EUA não apenas aumente as taxas de juros antes do esperado, mas também reduza sua carteira geral de ativos para conter a alta inflação

Em sua última reunião de política monetária, no mês passado, o Fed disse que acelerará o processo de redução de suas compras de títulos e sinalizou que promoverá três aumentos de 0,25 ponto percentual nos custos dos empréstimos em 2022. Retornos mais altos nos títulos soberanos dos EUA, considerados o ativo mais seguro do mundo, tendem a beneficiar o dólar globalmente.

No Brasil

Na cena doméstica, seguiu no radar dos investidores a conjuntura fiscal brasileira — tema que deve dominar a atenção de investidores em 2022, dividindo os holofotes com a corrida eleitoral à Presidência.

Depois de o governo ter aberto, por meio da PEC dos Precatórios, espaço para mais gastos com auxílio à população, os mercados monitoraram a pressão de funcionários públicos por reajustes salariais neste ano, com servidores de várias categorias anunciando planos de paralisação e entrega de cargos.

A projeção para o crescimento da economia no ano passou de 0,42% para 0,36%, segundo boletim Focus divulgado na segunda-feira (3) pelo Banco Central. Já a estimativa para a inflação em 2022 segue em 5,03%, acima do teto do sistema de metas para o ano.

A expectativa para a taxa básica de juros da economia, a Selic, para o fim de 2022 também foi mantida em 11,50% ao ano. A projeção do mercado para a taxa de câmbio em 2022 segue em R$ 5,60 por dólar.

Com informações do Valor PRO e agências.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 11h04
Dólar cai até R$ 4,89 e juros futuros oscilam perto da estabilidade

Moeda americana se desvaloriza em todo o mundo nesta manhã

Redação IF Publicado em 20.maio.2022 às 08h16
Bolsas asiáticas fecham em alta após China cortar taxa de juros

Mesmo assim, os investidores seguem atentos à perspectiva de aumento dos juros nos EUA

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 16h01
Dólar comercial renova mínima com fraqueza da moeda no exterior

O movimento reflete o enfraquecimento da moeda americana frente outras divisas emergentes

Redação IF Atualizado em 19.maio.2022 às 09h39
Bolsas europeias caem mais de 2% e futuros de NY sinalizam continuidade das perdas

Clima de cautela prevalece nos negócios em meio às preocupações com o impacto da inflação elevada no crescimento econômico global