Ibovespa fecha semana em baixa de 1,15%; dólar alcança maior valor desde fevereiro e sobe 2,13% na semana

Moeda americana voltou a superar R$ 5,25 e tem 4ª semana consecutiva de alta frente ao real

(Foto: Pixabay)

Após três baixas consecutivas, o Ibovespa fechou em alta nesta sexta-feira. O movimento foi influenciado pelo sentimento positivo no exterior, com fortes altas das bolsas americanas e pela recuperação dos papéis ligados a commodities metálicas.

O Ibovespa conseguiu acompanhar, em parte, o bom desempenho dos mercados globais, avançando com suporte dos ativos ligados às commodities metálicas. Após ajustes, o Ibovespa fechou em alta de 0,6%, aos 98.672 pontos. A performance positiva não foi suficiente, no entanto, para reverter mais uma semana negativa para o índice local, que recuou 1,15% no período.

O índice variou entre os 98.031 pontos na mínima intradiária e os 99.313 pontos na máxima. Entre as maiores altas, Gol PN avançou 6,71%, PetroRio ON ganhou 5,18%, CSN ON avançou 5,18% e Suzano ON cresceu 4,87%. Na outra ponta, Petz ON recuou 5,54%, Grupo Soma ON piorou 4,87% e Via ON caiu 4,22%.

O noticiário fiscal atrapalhou bastante a performance dos ativos brasileiros nessa semana. Toda essa incerteza das medidas para suavizar a alta dos combustíveis causa um impacto nas contas do governo. Isso está gerando esse mal humor por essa visão de um fiscal mais confuso. Também foi possível observar este mesmo efeito da questão fiscal na curva longa de juros – afirmou o CIO da Alphatree, Rodrigo Jolig.

Dólar

Em um dia de bastante volatilidade, o dólar voltou a superar R$ 5,25 na tarde desta sexta-feira (24). As declarações de integrantes do governo feitas mais cedo trazem mais pressão para o cenário fiscal e acabam fazendo a moeda brasileira se descolar dos seus pares emergentes, que têm um dia positivo no exterior

O dólar comercial terminou o dia em alta de 0,45%, vendido a R$ 5,2528 no mercado à vista.

O noticiário político local faz o mercado câmbio local ter um desempenho descolado de seus pares emergentes, que vêm apresentando ganhos desde o início do dia, enquanto o real foi uma das quatro moedas com pior performance entre as 33 principais divisas globais.

Hoje cedo, durante evento em João Pessoa (PB), o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que vai elevar o valor mínimo do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600. Outra notícia que o mercado avalia é o anúncio do relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) 16, chamada de “PEC dos Combustíveis”, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), de que irá ampliar de R$ 29,6 bilhões para R$ 34,8 bilhões os gastos previstos no projeto.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico