Bancos e construtoras sobem com otimismo sobre juros; Ibovespa tem alta de 1,8% na semana

Investidores reagem à afirmação do presidente do BC sobre fim do ciclo de alta da Selic

Prédio da B3 Bovespa Bolsa Balcão em São Paulo
A Bolsa brasileira B3, em São Paulo (Foto: Divulgação)

As ações da Bolsa de Valores brasileira, a B3, as dos bancos e as das construtoras se destacaram no pregão desta sexta-feira (21) com o aumento do otimismo dos investidores em relação ao rumo da taxa de juros.

O próprio presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que o ciclo de elevação da taxa básica Selic, atualmente em 9,25% ao ano, está perto do fim e que a inflação se aproxima do pico (para depois recuar).

À primeira vista, o aumento dos juros poderia significar mais ganhos para as instituições financeiras, que oferecem crédito. Mas, no atual cenário de desemprego e queda da renda, uma alta no custo do dinheiro levaria a um aumento dos calotes, daí os ganhos dos bancos na Bolsa hoje. A B3 também se beneficia das perspectivas para os juros porque, assim, a renda fixa fica menos atraente e a variável parece mais interessante.

Para o setor imobiliário, os ganhos são óbvios: quanto mais os juros sabem, mais caro e menos acessível fica o financiamento de casas e apartamentos.

No fechamento, o índice setorial das empresas do setor financeiro teve alta de 0,24%, com a ação da B3 subindo 2,9%, a R$ 13,64. O da construção civil saltou 2,23%. A JHSF, holding de incorporação imobiliária e administração de shopping centers, disparou 5,8%, a R$ 5,47.

O Ibovespa, principal índice acionário brasileiro, caiu 0,2% hoje, a 108.941 pontos. Na semana, ganhou 1,8%. As ações que mais tiveram valorização foram as que se beneficiam do fim do ciclo de alta dos juros, incluindo as varejistas.

A suspensão, pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), do prometido aumento de salário para os policiais federais contribuiu bastante para melhorar o clima no mercado no final da semana. O reajuste, que aumentaria o buraco no orçamento do governo, despertou o descontentamento de outras categorias de servidores os públicos.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 18h00
Ibovespa tem sessão de alta liderada por Petrobras e sobe 0,29% na semana

Entre as baixas, se destacaram empresas do setor de minério de ferro devido à preocupação com a retomada da China

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h13
Dólar dispara e supera R$ 5,33 com temores de recessão global no radar

Mercado também repercute aprovação de PEC que libera gasto bilionário às vésperas das eleições

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 10h21
Criptomoedas iniciam julho no vermelho com bitcoin abaixo de US$ 20 mil

Bitcoin teve sua pior perda trimestral em mais de uma década

Valor Econômico Publicado em 01.jul.2022 às 08h34
Cenário de recessão pode piorar mercado acionário nos EUA, alerta pesquisador

Noriel Roubini considera como 'perigosamente ingênua' a visão de analistas que a recessão será leve e de curta duração

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 07h41
Vivo emite R$ 3,5 bilhões em debêntures com metas ESG; saiba como funciona o investimento

A empresa firmou compromisso de elevar a participação de negros em cargos de liderança