A discussão da semana é sobre crescimento

Investidores analisam dados da China e do Brasil relativos à atividade econômica

Mercado de rua na China (Foto: Nate Landy/Unsplash)

Neste início de um ano com muitas incertezas à frente, dos rumos da pandemia às eleições presidenciais no Brasil, passando pela retirada de estímulos econômicos na Europa e nos Estados Unidos, os investidores tentam prever como a atividade vai se comportar.

Dois indicadores econômicos que serão divulgados logo no começo desta semana devem ajudar nas projeções.

Neste domingo (16), às 23h de Brasília e 10h de Pequim, saem os números sobre o PIB (Produto Interno Bruto) da China referente ao quarto trimestre de 2021, além dos dados sobre produção industrial e vendas no varejo de dezembro. O país asiático se tornou, nos últimos anos, o principal parceiro comercial do Brasil, absorvendo parte relevante da sua produção de matéris-primas, como minério de ferro e celulose. Daí a importância de saber como está o ritmo da economia chinesa. A expectativa média do mercado é de um crescimento de 3,6% para o último trimestre do ano passado em relação ao mesmo período de 2020 e de 8,4% para 2021 inteiro.

Na segunda (17) pela manhã, o Banco Central brasileiro informa o seu IBC-Br relativo a novembro. Esse indicador mensal de atividade é entendido como uma prévia do PIB oficial, divulgado apenas trimestralmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A estimativa dos especialistas é de alta de 0,54% ante outubro e de 0,3% antes novembro de 2020.

Como afeta os investimentos?

Um bom desempenho da economia da China tende a valorizar as ações de empresas brasileiras exportadoras, como a mineradora Vale e a produtora de papel e celulose Suzano.

Da percepção do ritmo da atividade econômica no Brasil dependem as ações das companhias que dependem do consumo interno – as varejistas, por exemplo.

Política

Enquanto o Congresso Nacional continua em recesso, a pré-campanha para a Presidência vai esquentando. O mercado acompanha com atenção as movimentações dos pré-candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Sergio Moro (Podemos) e João Doria (PSDB), além do incumbente, Jair Bolsonaro (PL).

E a pandemia?

Começou no sábado (15) em muitas cidades brasileiras a vacinação de crianças contra o novo coronavírus com o imunizante da Pfizer. As curvas de contágio e mortes continuam subindo no país – a média móvel de sete dias de casos conhecidos está em 68.074, uma alta de 792% em relação à de duas semanas atrás, e a de mortes subiu 49% na mesma comparação, para 147 –, mas o início da vacinação dos brasileirinhos de 5 a 11 anos, assim como o avanço da aplicação da dose de reforço para os adultos, alimenta a esperança de que estamos caminhando para o fim da pandemia de Covid-19.

Outro motivo para otimismo vem da observação das curvas de casos em países onde a ômicron chegou antes. Na África do Sul, que primeiro detectou a variante, em novembro de 2021, a pandemia vem desacelerando desde 15 de dezembro; no Reino Unido, desde 4 de janeiro. A evolução dos casos sugere que a quarta onda pode ser mais breve do que as anteriores.

Confira a agenda completa de indicadores e eventos da semana:

  • Segunda, 17/01
    8h – IGP-10, da FGV
    8h25 – Boletim Focus, do BC
    9h – IBC-Br, do BC
  • Quarta, 19/01
    5h – IPC, da Fipe
  • Quinta, 20/01
    10h30 – Pedidos de auxílio-desempego (EUA)

Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 17.maio.2022 às 20h10
Deputados do PT apelam ao STF para barrar privatização da Eletrobras no TCU

Parlamentares do PT entraram com pedido de liminar no STF para suspender o julgamento da privatização da estatal

JOTA Atualizado em 17.maio.2022 às 18h52
Análise: Em campanha por ‘super bancadas’, centrão rejeita ataques de Bolsonaro às urnas

Lideranças temem prejuízo eleitoral, mas QG político associa estridência à cobrança por mudanças na Petrobras

Redação IF Atualizado em 17.maio.2022 às 19h14
NY: Empresas de tecnologia recuperam perdas; ações de aéreas americanas fecham em alta

Dados positivos de vendas no varejo nos EUA e sinais de reabertura na China alimentam otimismo

Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 15h48
Ação da Hapvida despenca 16% e lidera perdas do Ibovespa

Itaú BBA tem recomendação "outperform" para o papel, com preço-alvo de R$ 17 para o fim de 2022

Redação IF Publicado em 17.maio.2022 às 14h22
Nubank: analistas veem resultados positivos, mas inadimplência gera cautela

Desde o IPO, em 8 de dezembro, quando foi precificado a US$ 9, o papel do banco digital acumula queda de 50,2%