Petrobras: tudo indica que o 2º trimestre já virá com nova política de dividendos, diz diretor

Executivo afirmou que gestão anterior 'pagava muito dividendo porque queria privatizar'

O diretor financeiro e de relacionamento com investidores da Petrobras, Sergio Caetano Leite, afirmou que os dividendos a serem distribuídos pela companhia em relação ao desempenho do 2º trimestre já virão sob a nova regra a ser definida nos próximos dias.

“Tudo indica que o dividendo do segundo trimestre já ocorra sob a nova política. Já deve ocorrer com base na nova regra”, disse o executivo nesta quarta-feira (19) durante café da manhã com jornalistas no Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Petrobras, o Cenpes.

Segundo Caetano Leite, um grupo de onze técnicos está preparando a nova política e já rodou uma primeira prévia, a qual ele teve acesso.

A proposta será apreciada e validada pela diretoria e, em seguida, enviada ao Conselho de Administração.

Conforme noticiado pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, a Petrobras se prepara para distribuir dividendos em porcentual do fluxo de caixa livre menor que o das gestões anteriores, mas, ainda assim, bem acima do mínimo legal de 25%.

O executivo disse não haver um porcentual definido, muito embora os bancos esperem algo em torno de 40% ou mais.

“A gestão anterior pagava muito dividendo porque queria privatizar a Petrobras. Nós temos um novo direcionamento, com mais de 70 anos para frente. A Petrobras vai pagar dividendos em linha com suas congêneres”, disse Caetano Leite em referência às grandes petroleiras estrangeiras.

Companhia quer recomprar ações

A companhia prepara, também, uma política de recompra de ações que, à frente, deve substituir uma fatia do que até aqui estava separado para proventos.

A este respeito, Caetano Leite se limitou a dizer que a diretoria deve aconselhar uma política de recompra também em linha com a de empresas do mesmo porte.

No ano passado, empresas como Shell, BP e TotalEnergies fizeram mais de um anúncio significativo de recompra de papéis.

Segundo fontes, a diretoria da Petrobras também quer fazer disso uma rotina. Questionado pelo Broadcast, Caetano Leite disse que ainda não está claro se vai haver um primeiro anúncio de recompra já em agosto.

Com informações do Estadão Conteúdo