Maiores empresas em valor de mercado: ainda vale a pena investir em Microsoft, Apple e Nvidia?

Veja recomendação de analistas sobre principais beneficiárias da primeira onda de inteligência artificial

Três empresas têm disputado pregão a pregão o posto de empresa mais valiosa do mundo. A Microsoft (MSFT34) está no topo do ranking em julho de 2024, com valor de mercado de US$ 3,474 trilhões. Na cola da companhia fundada por Bill Gates e Paul Allen, vem a Apple (AAPL34), com US$ 3,462 trilhões. Em terceiro lugar, está a Nvidia (NVDC34), com US$ 3,12 trilhões. Os dados são do site Companies Market Cap e refletem o mercado no dia 5 de julho de 2024.

Diante desses números, o investidor que está chegando agora no mundo das big techs, pode estar se perguntando: vale a pena entrar neste mercado agora, mesmo “atrasado” e investir nessas três gigantes da tecnologia? Confira o que dizem os analistas consultados pela Inteligência Financeira.

Vale a pena investir nas big techs agora?

Na avaliação de Enzo Pacheco, analista de mercados internacionais da Empiricus Research, dada a relevância e importância das big techs na economia global, faz sentido ter uma parcela do capital nessas companhias. O ponto aqui, destaca ele, é o tamanho dessas posições.

“Hoje, temos sugestão de compra para Amazon e Meta (de 4% a 6% da carteira internacional). E para Apple (AAPL34) e Microsoft (1% a 3% da carteira). Também temos sugestão de compra de Alphabet em outra série da casa, mas com um percentual de nem 2% na carteira total (não apenas da parte internacional)”, afirma o especialista.

Pacheco diz enxergar nessas companhias as principais beneficiárias da primeira onda de inteligência artificial. De acordo com ele, “estamos falando das empresas com alguns dos produtos e serviços mais importantes e relevantes para pessoas do mundo todo”.

“Essas companhias mantêm uma grande geração de caixa por meio de suas operações. Isso permite que elas invistam ainda mais e tornem-se ainda mais importantes”, salienta o analista da Empiricus.

De acordo com o especialista, ter uma posição menor em Apple (AAPL34) e Microsoft (MSFT34) do que em Amazon e Meta está ligado ao valuation. Para ele, enquanto as duas primeiras negociam por mais de 30 vezes seus lucros futuros, a Meta e Alphabet negociam próximas das 25 vezes.

“Já a Amazon, com seus grandes investimentos em estruturas para logística (além dos investimentos em data centers), acaba tendo o seu lucro reduzido significativamente. Isso faz com que a ação pareça cara pelo múltiplo Preço/Lucro (mais de 40 vezes). Mas quando ajustado por esses valores, a empresa negocia por cerca de 20 vezes seus lucros operacionais”, destaca Pacheco.

Cenário de juros altos

Thiago Guedes, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Bridgewise no Brasil, também acredita que, apesar do movimento de alta dos últimos semestres da bolsa americana, é um bom momento para entrar no setor de tecnologia.

“As big techs estão entregando um resultado muito forte, entregando lucro e receita. Então, por mais que a bolsa esteja muito esticada, ela continuou crescendo, mesmo com a taxa de juros dos EUA alta. E um cenário de cortes dessa taxa também favorece essas empresas a subirem”, avalia Guedes.

Microsoft (MSFT34), Apple (AAPL34) e Nvidia (NVDC34): qual o diferencial delas?

Em 18 de junho, a Nvidia (NVDC34) chegou ao posto de maior empresa do mundo em valor de mercado. Nos dias seguintes, entretanto, suas ações chegaram a cair quase 15% das máximas. Assim, Microsoft (MSFT34) e Apple (AAPL34) voltaram a disputar entre elas o topo do ranking das mais valiosas.

“A valorização vertiginosa da Nvidia está ligada ao fato de que ela é a principal fornecedora dos chips necessários para o desenvolvimento da Inteligência Artificial. As big techs, por exemplo, são algumas de suas principais clientes, para construir os data centers e elaborar os modelos que podem ser utilizados tanto internamente para melhoria de processos como produtos e serviços para clientes e usuários”, explica Pacheco.

Leia a seguir

Leia a seguir

No caso da Microsoft (MSFT34), por dominar alguns dos principais programas e aplicações no mundo corporativo, a empresa se torna uma das grandes beneficiárias dessa primeira onda da IA, de acordo com o analista da Empiricus. Assim, diz ele, a empresa, ao contar com mais de 200 milhões de usuários de seus aplicativos corporativos, demonstra todo o seu potencial para oferecer novos produtos e serviços com a tecnologia de IA.

iPhone com Inteligência Artificial

Já a Apple (AAPL34), que parecia ter ficado para trás no começo do ano em relação ao tema da IA, nos últimos meses tem feito anúncios sobre parcerias nesse campo com a OpenAI e o Google. Além disso, existe a expectativa do lançamento de um iPhone com Inteligência Artificial.

“No caso específico de IA, entendo que a Apple tende a ser uma das mais beneficiadas. Isso porque, a partir do momento em que ela lançar um novo modelo do iPhone com IA, vai gerar uma nova onda de renovação por parte dos usuários”, destaca o especialista em mercados internacionais.

Enzo Pacheco pontua que, nos últimos anos, com poucos avanços nos novos modelos, muitos usuários de iPhone acabaram ficando com seus smartphones por mais tempo do que o usual. “Porém, com a IA na palma da sua mão, a Apple, uma empresa que é tida como uma das mais focadas na questão de privacidade, deve gerar esse novo superciclo de renovação dos seus aparelhos”, avalia ele.

As 10 maiores empresas do mundo em valor de mercado em 2024

RankingEmpresaValor de mercadoSetorPaís
Microsoft (MSFT34)US$ 3,474 trilhõesTecnologiaEUA
Apple (AAPL34)US$ 3,462 trilhõesTecnologiaEUA
Nvidia (NVDC34)US$ 3,12 trilhõesTecnologiaEUA
Alphabet – Google (GOGL34)US$ 2,362 trilhõesTecnologiaEUA
Amazon (AMZO34 )US$ 2,081 trilhõesTecnologiaEUA
Saudi AramcoUS$ 1,82 trilhãoPetrolíferaArábia Saudita
Meta Plataforms – Facebook (M1TA34)US$ 1,368 trilhãoTecnologiaEUA
TSMC (TSMC34)US$ 954,6 bilhõesSemicondutoresTaiwan
Berkshire Hathaway (BERK34)US$ 884.97 bilhõesConglomerado de empresasEUA
10ªEli Lilly (LILY34)US$ 823,53 bilhõesFarmacêuticaEUA
Fonte: Companies Market Cap – Cotação de 6 de julho de 2024

Microsoft (MSFT34), Apple (AAPL34) e Nvidia (NVDC34): afinal, em qual investir agora?

Enzo Pacheco avalia que, apesar de entender que Microsoft (MSFT34), Apple (AAPL34) e Nvidia (NVDC34) não estão baratas, são empresas de qualidade superior à média do S&P 500, “o que sugere um múltiplo maior do que a média do mercado (hoje na casa das 22 vezes lucros futuros)”. O analista sugere, como já mencionado, investimento para Microsoft e Apple de 1% a 3% da carteira internacional.

“Isso não significa que essas ações não possam sofrer realizações no curto prazo. Até acredito que sim, dada a forte alta dos papéis neste começo do ano. Entretanto, se isso de fato acontecer, podemos ter a oportunidade de aumentar a posição nesses papéis”, diz o especialista.

Outro ponto que faz o analista sugerir a compra dessas ações, mesmo que com um percentual pequeno do portfólio, está ligado à capacidade dessas empresas enfrentarem qualquer condição de mercado, negativa ou positiva.

“No caso de um cenário econômico positivo, essas ações podem até ter uma performance inferior a outras empresas mais cíclicas. Porém, entendo que continuarão demonstrando bons resultados no futuro. Já, se tivermos algum problema na economia, os investidores vão acabar focando suas apostas naquelas empresas que conseguiram passar por esse período sem grandes dificuldades, o que vai beneficiar as big techs”, avalia o especialista da Empiricus.

Sugestão para Nvidia (NVDC34)

Em relação à Nvidia (NVDC34), Pacheco diz não ter sugestão de compra atualmente para a empresa. Ele diz que, caso o investidor queira apostar na companhia, deve fazê-lo com uma pequena parte do capital aos preços atuais (1% da carteira no exterior), “porque não sabemos onde essa história pode parar”.

Segundo Jensen Huang, fundador da Nvidia, o mercado potencial da empresa estaria na casa dos
US$ 100 trilhões. Assim, com um valor de mercado de pouco mais de US$ 3 trilhões, e assumindo que os valores estejam corretos, não seria absurdo falar de uma participação de 5% a 6% desse mercado para a empresa – o que significaria mais ganhos para a ação a partir de então, de acordo com o analista da Empiricus.

“Contudo, como tudo ainda está no campo das descobertas, não podemos assumir que a empresa vá, de fato, valer o dobro que vale hoje. Existe a possibilidade, mas, dada a alta recente no ativo, entendo que os riscos de uma eventual realização significativa (seja por motivos próprios ou até mesmo de cunho macro) na ação não pode ser descartada. Por isso, sugeriria uma pequena posição, aos preços de hoje”, conclui o especialista.

“Entregando o que prometeu e um pouco mais”

Já Thiago Guedes, da Bridgewise, destaca a Nvidia (NVDC34), entre as maiores empresas de valor de mercado do mundo, como “a mais bem pontuada”. “Ela está sendo a grande propulsora de crescimento do mercado de Inteligência Artificial, entregando tudo o que prometeu e um pouco mais. A Apple e a Microsoft são empresas que estão acima da média, estão muito bem. Não podemos esquecer também da Amazon, mas a gente tem dado preferência para a Nvidia agora”, avalia o especialista.